10 de out de 2017


[Resenha] Um Amor Apaixonado - Silvia Spadoni

Ficha Técnica 

Título: Um Amor Apaixonado
Autor: Silvia Spadoni
ISBN: 978-85-66549-50-8
Páginas: 200
Ano: 2017
Editora: Pedrazul
Ao contrário do irmão mais velho, o príncipe Tárik odeia o povo inglês, mas o destino coloca sob sua responsabilidade justamente uma nobre inglesa, que acredita ser a síntese da mulher fútil e manipuladora que ele tanto despreza. Mas seu país precisa de uma aliança política e cabe a ele evitar que a ousada filha do duque de Barrington seja sequestrada em sua viagem a caminho do palácio Madinat al-Zahr. Tudo teria se resolvido em poucos dias se uma terrível tempestade de areia não tivesse atravessado o caminho deles. Após dias e noites sozinhos no deserto, a reputação de lady Sinclair fica irremediavelmente comprometida e ele terá de encarar seu pior pesadelo: um casamento, pelo bem de seu país e pela honra da jovem. Será que de um casamento forçado pode nascer um amor apaixonado?

Resenha


Ai, ai... O que dizer desse livro? Simplesmente... estou apaixonada por essa história. Sem dúvida a Silvia caprichou para finalizar a Série Amores.

Em Um Amor Apaixonado conhecemos Prudence Sinclair, uma garota muito inteligente, curiosa e determinada. Aos doze anos, quando sua irmã Priscila estava para ser apresentada à Sociedade, sua família promoveu uma garden party em Freemont House, residência de campo do duque de Barrington e, não sendo autorizada a participar por conta de sua idade, fez o que a maioria das crianças fariam: subiu em uma árvore para ver a festa de longe, mas ela não esperava se desequilibrar e cair, muito menos ter sua queda amortecida por Brahman Al Kaled, melhor amigo de seu irmão mais velho, Phillip e ninguém menos que o príncipe herdeiro de Al-Andalus.

Desse encontrou nasceu uma grande amizade, Brahman, saudoso de sua terra natal, encontrou na curiosidade sincera de Prudence uma maneira de relembrar das maravilhas da Arábia, ainda que ela fosse oito anos mais nova do que ele, essa diferença não parecia existir quando conversavam.

Instigada por tudo que Brahman lhe falava do Oriente, Prudence se via cada vez mais apaixonada pelo local e ansiava por conhecê-lo. Três anos mais tarde ela pode reencontrar seu grande amigo e conhecer seu irmão caçula, Tárik Al Kaled, ela só não sabia como suas vidas estariam interligadas.
O jovem à frente de Prudence também tinha olhos negros, mas enquanto os de Brahman eram amigáveis, os dele pareciam um mar de chamas ardentes. Um palmo mais alto do que o irmão, ele tinha a pele mais clara, usava os cabelos negros compridos e amarrados na nuca e tinha o maxilar quadrado firmemente cerrado como se para evitar falar o que poderia ser considerado inconveniente. O traje ocidental lhe servia com perfeição, evidenciando os ombros largos, os quadris estreitos e as longas pernas envoltas em botas de couro macio e brilhante. Embora seus traços juvenis amenizassem a expressão, ele a olhava fixamente com um certo ar de desdém, como se a opinião dela sequer merecesse ser considerada. Era assustador, mas Prudence não conseguia afastar seus olhos dele.
P. 24
Aos vinte e um anos e após quatro temporadas, Prudence continua rejeitando os pretendentes que querem lhe fazer a corte e todos são recusados pelo menos motivo: ela deseja se casar por amor. Ainda que não fosse um conceito comum na época, a leitura de vários romances nessa temática lhe despertaram esse desejo, mesmo que isso significasse ficar solteira à casar-se com alguém de quem não gostasse. Mas enquanto se vê pressionada pela mãe a não recusar mais tantos pretendentes, ela recebe um convite de seu amigo: Brahman irá se casar e a convidou para as festividades.

Levando em consideração a época, é de se esperar que o duque de Barrington não permitiria que sua filha caçula e solteira se aventurasse em uma viagem tão longa, mas são apresentadas questões de Estado entre a Inglaterra e o Império Otomano que farão com que Prudence veja um de seus sonhos ser realizado: viajar para a Arábia. Entretanto, essa não será nem de longe uma viagem fácil.

Tárik Al Kaled é uma incógnita desde sua primeira cena e nos é mostrado muito pouco de seu passado para que possamos entendê-lo, mas ele vai ganhando seu espaço e roubando nossos corações. Sendo o irmão do príncipe herdeiro, já é de se esperar que ele seja visto como o "segundo", mas vamos descobrindo fatos sobre sua origem que nos permite montar o quebra-cabelas que ele é. Mas o que a Silvia já nos mostra inicialmente é que ele não gosta muito dos ingleses, principalmente das mulheres inglesas e, com a chegada da comitiva inglesa para o casamento de seu irmão, ele se verá responsável pela segurança de Prudence.
- Eu a confio a você, príncipe Tárik, cuide dela e proteja-a como se fosse eu - disse Phillip.
- Como a minha própria vida - respondeu o árabe com a mão sobre o coração. - Não se preocupe, eu cuidarei dela - e dizendo isso estendeu a mão para que Prudence se apoiasse nele e o seguisse.
Atônita e com o coração aos pulos, ela sentou-se no parapeito da janela, segurou a mão do príncipe, fechou os olhos e saltou para o desconhecido.
P. 73
Em companhia de Nassif, curdo à serviço dos príncipes há muitos anos, Tárik e Prudence se veem em uma jornada árdua pelo deserto e esse período fará com que destruam os pré-conceitos que tinham um do outro.

Nesse romance Silvia nos apresenta além do romance em si, os preconceitos da sociedade londrina perante uma cultura diferente da sua, o que, se pararmos para pensar, continua acontecendo na atualidade e por isso temos tantos conflitos.

O romance criado entre Prudence e Tárik é lindo, cheio de descobertas e aventuras, fiquei maravilhada com os detalhes apresentados da cultura local, a religião, as cores, o deserto, tudo isso visto pela ótica da Prudence, que é ávida por conhecer novas culturas fica ainda melhor.
Tárik a segurou com força junto a si, não podia permitir que ela se afastasse, seu corpo não suportaria a ausência do dela.
E Prudence não queria se afastar, enfim ela havia encontrado seu lugar... ali, no meio do deserto, nos braços daquele homem...
P. 97
Ainda estou suspirando com esse romance, com esses personagens, com tanta beleza. Sinceramente, na minha humilde opinião a Silvia soube finalizar muito bem essa série e já espero que ela nos presenteie logo com novos romances.

Amazon | Saraiva
Comentários
3
Compartilhe

3 comentários:

  1. Oi Lay, fiquei super curiosa sobre essa história que nos proporciona conhecer uma cultura diferente <3 Gostei, a capa tá linda seguindo o padrão das anteriores e apesar de ainda não te lido nenhum dos livros dela, tô cheia de vontade e espero poder começar a conhecer a escrita dela logo logo. Inicialmente achei que o irmão mas velho seria o interesse romântico, mas gostei mais que é irmão que parece ser misterioso e como ele não gosta dos ingleses, deve ter aquelas cenas de picuinhas pra agitar a trama. Amei a resenha e a indicação *__*

    ResponderExcluir
  2. Lay!
    Já gostei por ser um romance de época com algumas características históricas, afinal fala sobre os preconceitos da sociedade londrina em relação a outros povos.
    Adorei a postura de Prudence e ainda mais que ela irá se apaixonar por Tárik, o que imagino, causará um grande escândalo não apenas em sua casa como em toda a sociedade.
    Desejo uma ótima semana produtiva!
    “Saber quando se deve esperar é o grande segredo do sucesso.” (Xavier Maistre)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  3. Oi Lay
    N conhecia a série, mas achei a capa lindíssima!
    Vou anotar, quem sabe depois de ler um pouco mais dos que estão na minha lista, eu consiga ler essa série!

    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações