16 de dez de 2017


[Conhecendo o Autor] A. J. Ventura


Escrever sobre mim como pessoa é difícil. Escrever sobre mim como escritora, é bem mais. Estou atendendo ao pedido carinhoso da Layane para me apresentar por aqui, mas tenho um pouco de medo de falhar na tarefa. Assim como fazer uma sinopse, falar sobre mim me deixa aflita, mas vou tentar. 


Sempre li muito e desde muito cedo. Como o acesso aos livros era restrito, lia e relia os mesmos livros várias vezes, mas nunca deixei de ler. Já na adolescência, fui apresentada aos romances de banca pela minha irmã. Aí minha vida mudou. Foram anos desse tipo de leitura até que outros interesses me afastassem dos romances.

Por causa da faculdade e pela dificuldade de encontrar romances de banca que me prendessem, passei para biografias, suspenses e mistérios. Li muita coisa de Agatha Christie, Sydney Sheldon, Tom Clancy e John Grisham. Troquei de faculdade e vieram os clássicos brasileiros, americanos e ingleses e muito tempo até que eu voltasse a ler por prazer.

A compra de um tablet anos depois me trouxe de volta aos livros por diversão e os romances foram os primeiros livros que baixei. Voltei a ler vorazmente e como não tinha kindle, nesse período li só autoras internacionais. Sandra Marton, Mara Jacobs, Evelyn Adams, Melanie Shawn, R.L. Mathewson e Amy Adams foram as principais. O que essas autoras têm em comum? Escrevem livros leves com final feliz. Meu tipo de livro favorito. Não é maneira de falar. Leio para me divertir e gosto de coisas que façam com que me sinta bem ao final. Nem me venha com livors que façam chorar. Só leio se não fizer ideia do que se trata e mesmo que goste muito, não lerei novamente. Podem me julgar.

Quando finalmente baixei o aplicativo do kindle, vi a quantidade de autoras nacionais e percebi que podia ser um caminho pra mim, que tinha escrito muitas coias desde a adolescência, mas achava que publicar um livro era um sonho distante. Levou algum tempo e muita coragem para que eu decidisse que tinha uma história para contar e sabia como fazê-lo. “Maior que Tudo” surgiu para mim quase completo e todo o processo de colocá-lo no papel, criar uma capa, revisar e publicar na Amazon, levou dois meses e meio. Tenho certeza de que isso nunca acontecerá novamente. Foi o meio que o universo encontrou de me convencer de que era fácil. Eu acreditei.

O livro conta a história de Anna, uma brasileira que mora e trabalha em NY como professora de Português para estrangeiros. Ela conhece Joel, um advogado misterioso que propõe um relacionamento sem compromisso. Inexperiente e ingênua, Anna aceita, achando que pode sair desse relacionamento sem se machucar, mas é claro que está enganada. Acima do peso, Anna é uma pessoa incrível e minha intenção ao retratá-la assim, foi a de dar representatividade a uma parcela enorme do meu público que não se vê representada pelas mocinhas com corpo de modelo que povoam os Romances. Anna é uma pessoa real, que tem dúvidas, inseguranças e problemas como qualquer uma de nós.

Mais de oito meses se passaram até que a sequência “Mais forte que tudo” ficasse pronto. Bem mais profissional, contratei uma beta e revisora que me mostrou que não adianta ter uma história pra contar e saber como. Você precisa de feedback e em algum momento pode ser necessário mudar sua história. Às vezes só um pouquinho. Às vezes muito.

Em “Mais forte que tudo”, acompanhamos a história de Pat, a melhor amiga de Anna e oposta a ela em tudo. Determinada, segura e por vezes, arrogante, Pat é uma feminista convicta de que não precisa de um homem ao seu lado para ser feliz, até que encontra Jeff, disposto a provar a ela que pode não ser o que ela quer, mas é o que ela precisa.

Enfim, mais profissional e mais confiante, decidi deixar a série de lado por um tempo e me dedicar a algo diferente. Foi assim que surgiu “A Lista de Sam”. Um Stand Alone sensual, mas com protagonistas mais jovens, ainda na faculdade e moradores do alojamento da UFRJ, onde eu tive o prazer de morar.

“A Lista de Sam” é um romance leve, mas bem sensual. Isso porque a lista, criada pelas amigas de Sam como brincadeira, contém itens que elas consideram imprescindíveis que a amiga experimente antes do fim da faculdade. Todos eles relacionados a sexo. Recém-saída de um relacionamento, Sam leva a lista na brincadeira, até que o irmão de uma das amigas acha a lista e diz a ela que está disposto a marcar os itens com ela.

Depois de concluída a “lista”, foi a hora de voltar para Nova York, ou melhor, para a série In Love in NY e “Melhor que Tudo” saiu mais de um ano depois. Não foi só o mais demorado. É o mais longo e mais difícil livro que escrevi. Mas tecnicamente, posso dizer que se trata do melhor. E isso não foi um trocadilho com o nome do livro.

Dani foi aluna de Pat e Anna no curso e se aproximou das duas por acaso. Agora ela se tornou funcionária delas e está focada em estabelecer um curso de Inglês gratuito para imigrantes com dificuldades com o idioma. Seu vizinho, o arquiteto Ed é irmão de Joel e ainda leva a vida que o irmão deixou para trás. Sem interesse em compromisso, se envolve com várias mulheres sem se apegar a nenhuma. Com a convivência com Dani, eles ficam amigos. Ela sabe que não podem ser mais que isso porque seu objetivo é se casar e ter uma família, coisas que Ed não está disposto a ter. Como sempre, o destino tem outros planos.

Sobre a publicação, demorou um pouco e foi feito de forma independente o que, embora seja mais trabalhoso em todos os sentidos, dá uma satisfação incrível. Às vezes é estranho folhear o livro e pensar que todas aquelas palavras fui eu que escrevi, mas ao mesmo tempo é uma sensação de realização surreal. Sei que emocionalmente não é a mesma coisa, mas no meu caso, sei que é o mais próximo que chegarei de ter um filho, então fico satisfeita com meus filhos literários, que só me dão alegrias.

Minha relação com os leitores é tão próxima quanto eles querem. Sempre respondo emails e mensagens. Adoro ler feedback dos meus livros. De verdade. Mesmo nos casos em que a pessoa não gostou tanto assim (Infelizmente acontece), eu gosto de ouvir as críticas. Sou pouco ativa nas redes sociais e isso é algo que pretendo mudar, mas me emociona de verdade o contato com quem leu minhas obras. Se eu puder dar um conselho nessa vida aos leitores em geral é esse: Se gostou de um livro, tente falar com o autor, às vezes tudo que se precisa é de um incentivo e o que vem do leitor em forma de reconhecimento é o melhor e mais efetivo deles.

Nesse momento, trabalho num projeto completamente novo que tem previsão de ser lançado em 2018, além de trabalhar no último livro da série. Estou ansiosa para poder apresentar as novidades a todos e espero que estejam ansiosos também!

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ 

Curtiram conhecer um pouco a Anna? Pois é, assim que Elimar me falou que tinha uma autora nacional que escrevia chick-lit fiquei doida para conhecer e saber como seria a história que ela tinha escrito e eu adorei, kkk


Comentários
7
Compartilhe

7 comentários:

  1. Super aceito emprestado!
    (Pode fazer a nota promissória que cuido super bem de livros!)
    Fiquei super interessada desde a resenha do primeiro livro e tu sabe que amo um chick-lit!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkk, gostei mesmo e fiquei na vontade de ler os próximos, Kitty ;)

      Excluir
  2. Olá, adorei saber um pouco mais da autora, que usou dos meios que possuía para cultivar o hábito da leitura e hoje faz o que tanto gosta! Amo esses livros despretensiosos, pois eles são ótimos quando estamos de ressaca literária. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Layane. É muito bacana saber mais sobre a A.J. Ventura, saber quando ela começou a ler e começou a fazer parte desse nosso mundo da leitura. Um dos primeiros livros que eu li também foi um romance de banca, e simplesmente me apaixonei. Conheço a autora, mas ainda não li nenhuma livro dela, mas desejo todo o sucesso à autora!

    ResponderExcluir
  4. Olá Layane! Adorei conhecer a autora e suas obras, os desafios que ela enfrentou para escrever e publicar os livros. Gostei bastante das obras também, pois adoro romances leves. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Lay!
    Gosto demais de conhecer novos autores nacionais e suas obras.
    Não conhecia a autora e gostei muito do enredo dos livros.
    E os livros dela tem uma temática bem contemporânea, certeza que vai atrair os litores.
    Que a semana seja abençoada!
    “Desejo a você e à sua família um Natal de Luz! Abençoado e repleto de alegrias. Boas Festas!” (Priscilla Rodighiero)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Amo esse quadro, onde conhecemos um pouco mais sobre o autor..Gostei de conhece-lá. Ela é um amor de pessoa e me deixou bem curiosa pelos livros dela.

    Meu Blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações