5 de jan de 2018


[Resenha] O Jogador - Vi Keeland

Ficha Técnica 

Título: O Jogador
Título Original: The Baller
Autor: Vi Keeland
ISBN: 978-85-68056-41-7
Páginas: 304
Ano: 2017
Tradutor: Bianca Briones
Editora: Charme
Na primeira vez que encontrei Brody Easton ele estava no vestiário masculino. Foi a minha primeira entrevista como jornalista esportiva profissional. O famoso quarterback decidiu me mostrar tudo. E, por tudo, não quero dizer que ele me disse algum de seus segredos. Não. O idiota arrogante decidiu deixar cair a toalha quando fiz a primeira pergunta. Na frente da câmera. E o famoso ganhador do Super Bowl rapidamente adotou um novo hobby: me provocar. Quando o afastei, ele desistiu de só me provocar e resolveu que queria transar comigo. Mas eu não saio com jogadores. E não é porque sou uma das poucas mulheres que trabalham no mundo do futebol profissional. Eu posso namorar um jogador. É outro tipo de jogador que eu não namoro. Você conhece o tipo: boa aparência, forte, arrogante, sempre querendo ficar com alguém. Brody Easton era um verdadeiro jogador. Toda mulher queria ser a que iria mudá-lo. Mas a verdade era que tudo que ele precisava era de uma garota por quem valesse a pena mudar. De repente, eu era essa garota. Simples, certo? Vamos encarar, nunca é. Há uma história entre o era uma vez e o viveram felizes para sempre... E esta é a nossa.

Resenha


Olha eu lendo de novo um livro da Vi Keeland. Depois da Série MMA Fighter ♥♥♥ chegou a hora de mudar de esporte, do MMA paara o futebol americano.

Delilah Maddox é uma jornalista especializada na cobertura de esportes, o que não é muito comum, muito menos na WMBC Sport News, emissora onde trabalha, pois seu chefe é um machista que acredita que esse é um universo masculino. Porém, Delilah mostrará que isso não é verdade. Filha do lendário Tom Maddox, quarterback de sucesso, ela cresceu nesse universo e é disso que entende e agora que terá uma nova oportunidade no trabalho, fazer entrevistas no vestiário do New York Steel e outras ao vivo durante a próxima temporada. É assim que ela conhecerá pessoalmente Brody Easton, quarterback do New York Steel e o atual melhor jogador da temporada. Mas ele é mais do que mostra para a mídia?
Mais de trinta jornalistas foram entrevistados para a minha nova posição como narradora na transmissão da equipe de futebol, mas era eu quem ia conversar com os jogadores está noite no pós-jogo - não eles. Isso não me fez muito popular no grupinho. Mesmo que eu tenha trabalhado oitenta horas por semana nos últimos anos para chegar onde estou, os homens que trabalhavam trinta foram os primeiros a dizer que eu tinha conseguido isso usando minha vagina mágica.
Danem-se eles.
P. 08
Brody tem uma personalidade forte, boa aparência e esbanja arrogância quando o assunto é mulher. Quando viu Delilah no vestiário esperando para entrevistá-lo, ele decidiu que a queria, mas apenas como um caso e é claro que Delilah não jogaria fora sua oportunidade no trabalho por alguém como ele, ainda que tenha ficado tentada.

Desde que terminou seu último relacionamento, Delilah está em uma desintoxicação autoimposta de seis meses, período em que ela se afasta dos homens. Mas quem disse que Brody será intimidado por suas recusas? Entretanto, para ficar com ela, ele precisará estar disposto a ter um relacionamento sério, algo que ele fez apenas uma vez na vida e o resultado não foi um dos melhores.

Brody teve um relacionamento longo com Willow desde a adolescência, ela era neta de Marlene, sua vizinha. Desde a morte da mãe, quando tinha apenas sete anos, ele o pai contaram muito com a ajuda de Marlene, que tornou-se a figura feminina na vida de Brody. Entretanto, o relacionamento de Brody e Willow ficou impossível quando a garota, em sua busca incessante por adrenalina, acabou seguindo os passos da mãe no uso de drogas. Brody e Marlene tentaram ajudá-la o máximo que puderam, mas não se pode fazer muito quando a pessoa não permite. Graças a Deus o término do relacionamento entre eles não afastou Brody de Marlene. Com a descoberta da doença de Alzheimer e com sua carreira cheia de compromissos, Brody a colocou em uma casa de repouso onde pudessem cuidar dela, mas a visitavam semanalmente independente do que poderia ter acontecido em sua semana. Aqui preciso fazer um parêntesis: A relação deles dois é linda, é claro o amor entre eles e quanto mais tinham cenas de Brody visitando-a, mais o amava pelos pequenos e significativos gestos.
— Como foi a semana dela?
— Foi boa, de verdade — disse Shannon. — Ela quer ir às compras. Diz que precisa de roupas de baixo novas, mesmo que tenha uma gaveta cheia delas.
— Então, o ajudante vai levá-la às compras.
— Você quer que eu consiga um ajudante que a leve para um passeio que irá lhe custar um extra de trezentos dólares, mais o custo da roupa de baixo, mesmo que ela já tenha mais de quarenta.
— Isso vai fazê-la feliz?
— Eu acho que sim.
— Então, sim. Eu quero.
P. 29-30
Delilah também tem uma pessoa que marcou seu passado e seu presente, afinal muito de seu comportamento nos relacionamentos atuais reflete do que viveu com Drew, seu primeiro amor.

Ambos tem problemas, mas precisarão enfrentá-los para ficarem juntos e a maneira com a Vi desenvolveu a história, alternando o ponto de vista deles, nos deixa desesperados para saber mais e mais, como eles encontrarão as respostas, como seguirão em frente.
Não éramos diferentes, afinal. Durante os últimos sete anos desde que Drew morreu, todo mundo me dizia que eu evitava relacionamentos reais porque tinha medo de me machucar novamente. Eu não percebia isso... até que vi minhas próprias ações refletidas em Brody. Poderíamos ter métodos diferentes, mas estávamos fazendo o mesmo: protegendo nossos corações da perda. Você não pode se machucar se não deixa ninguém entrar.
P. 189
Uma das coisas que mais gosto nos romances da, Vi é que eles são classificados aqui como eróticos, têm esses caras maravilhosos nas capas, têm cenas de sexo incríveis, mas elas são complementos da história e não o foco principal.

Amazon | Cultura | Livraria da Folha
Comentários
8
Compartilhe

8 comentários:

  1. Oi Lay
    eu li gostei bastante!
    É um livro hot sim mas não foca realmente nisso, o sexo é só consequencia do envolvimento!

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Layane. Apesar do Brody ser um mulherengo, a autora mostrou um outro lado dele, que é o carinho (a bondade) que ele sente pela Marlene. Essa relutância da Delilah em mostrar que ele não é indispensável, torna tudo melhor e mais quente, pois faíscas voam... E é possível mudar, sim! Apesar de eu amar romances eróticos, acho que eles têm que ter conteúdo, temas abordados!

    ResponderExcluir
  3. Lay!
    Já sabe que amo os livros eróticos e quanto mais melhor, mesmo que aqui não seja o foco principal, seja uma decorrência do relacionamento.
    Brody parece aquele garanhão e acaba caindo nas teias de Delilah. E que garota cabeça feita, né? Mas ainda assim não resistiu...também, quem resistiria?
    Desejo Um ótimo final de semana e Novo Ano repleto de realizações!!
    “Chega de velhas desculpas e velhas atitudes! Que o ano novo traga vida nova, como o rio que sai lavando e levando tudo por onde passa.” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  4. Quando vi a capa deste livro pela primeira vez achei que o ponto central da trama séria a cenas hot, o que não curto muito. Porém me surpreendi com sua resenha quando você citou que isto e apenas um complemento, e não algo central, o que me fez querer dar uma chance a obra.

    ResponderExcluir
  5. Não gostei muito da sinopse do livro e eu não gosto deles eróticos e gente Que capa é essa kkkkk essa capa é tão Diva que eu tenho vontade de comprar só para enfeitar Minha estante

    ResponderExcluir
  6. Hey,

    Só pela capa já vi que faz o meu tipo de livro, mas acredito que pra quem goste de livros mais eróticos deve ser uma boa indicação.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Já li resenha desse livro e acho incrível a historia. Tem uma premissa boa, apesar de não ser muito um estilo que leria mas me deixou bem curiosa sobre os personagens..

    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  8. Ooi, não gosto muito desse gênero, mas parece ser uma história bem interessante.
    Delilah parece ser uma mulher forte, que se coloca contra o machismo do chefe, gostei disso.
    Bjs

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações