24 de fev de 2018


[Capas pelo Mundo] A Filha Perdida


Olá leitores do DTuP! Como foi o Carnaval de vocês? Para o mês de fevereiro escolhi um livro de Elena Ferrante e que já ganhou resenha aqui no blog. A Filha Perdida é a terceira e última história das Crônicas do Mal de Amor, mas vocês podem ler as histórias na ordem que desejarem, são histórias independentes. Ano passado tive contato com a escrita de Elena Ferrante e foi uma experiência muito boa, além de todo o mistério sobre a identidade da autora.
“As coisas mais difíceis de falar são as que nós mesmos não conseguimos entender.” Com essa afirmação ao mesmo tempo simples e desconcertante Elena Ferrante logo alerta os leitores: preparem-se, pois verdades dolorosas estão prestes a ser reveladas. Lançado originalmente em 2006 e ainda inédito no Brasil, o terceiro romance da autora que se consagrou por sua série napolitana acompanha os sentimentos conflitantes de uma professora universitária de meia-idade, Leda, que, aliviada depois de as filhas já crescidas se mudarem para o Canadá com o pai, decide tirar férias no litoral sul da Itália. Logo nos primeiros dias na praia, ela volta toda a sua atenção para uma ruidosa família de napolitanos, em especial para Nina, a jovem mãe de uma menininha chamada Elena que sempre está acompanhada de sua boneca. Cercada pelos parentes autoritários e imersa nos cuidados com a filha, Nina parece perfeitamente à vontade no papel de mãe e faz Leda se lembrar de si mesma quando jovem e cheia de expectativas. A aproximação das duas, no entanto, desencadeia em Leda uma enxurrada de lembranças da própria vida — e de segredos que ela nunca conseguiu revelar a ninguém. No estilo inconfundível que a tornou conhecida no mundo todo, Elena Ferrante parte de elementos simples para construir uma narrativa poderosa sobre a maternidade e as consequências que a família pode ter na vida de diferentes gerações de mulheres.

Austrália e Brasil

Eslováquia e Estados Unidos

França

Holanda e Inglaterra

Itália e Noruega

Polônia e Romênia

Suécia e Turquia

Essas são algumas capas de A Filha Perdida pelo Mundo! A edição da Intrínseca é uma das minhas preferidas, uma capa muito bonita e que optou por ilustrar o local em que a protagonista se encontra. Outra capa que gostei muito foi a edição turca. Agora me contem nos comentários as capas preferidas de vocês! Até o próximo Capas pelo Mundo.
Comentários
3
Compartilhe

3 comentários:

  1. Auri!
    Carnaval foi tranquilo, em casa lendo, escrevendo, fazendo arte...
    As capas são bem parecidas pelo mundo, não é mesmo?
    Não li ainda nenhum dos livros da autora.
    Um maravilhoso final de semana!
    “Acredite que você pode, assim você já está no meio do caminho.” (Theodore Roosevelt)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  2. Oi Auri,

    De todas, a que mais gostei mesmo foi a capa brasileira, pelo mesmo motivo que para você é a preferida. A Intríseca foi cuidadosa em traçar o ambiente pelo qual a história passa, destacando bem o título da obra, e isso sem perder a simplicidade.
    Em referência às outras capas, não houve alguma que tenha me agradado, então.

    Beijinhos, e até a próxima :)

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu gostei mas da capa brasileiras, por mas que as outras tem um sentido da historia mas fica sem entender e estranha, mas gostei de algumas.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações