2 de fev de 2018


[Resenha] Lady Whistledown Contra-Ataca - Julia Quinn, Mia Ryan, Karen Hawkins e Suzanne Enoch

Ficha Técnica 

Título: Lady Whistledown Contra-Ataca
Título Original: Lady Whistledown Strikes Back
Autor: Julia Quinn, Mia Ryan, Karen Hawkins e Suzanne Enoch
ISBN: 978-85-8041-767-8
Páginas: 352
Ano: 2017
Tradutor: Janaína Sennna
Editora: Arqueiro
Com a participação especial da famosa cronista da sociedade criada por Julia Quinn, Lady Whistledown Contra-Ataca é formado pelas narrativas curtas de quatro escritoras consagradas, tendo como fio condutor o roubo de uma pulseira milionária. Seus contos são como pérolas que se unem e formam uma peça de valor inestimável. Quem roubou o bracelete de lady Neeley? Terá sido o caça-dotes? O apostador? A criada? Ou o libertino? Londres está fervendo com as especulações, mas, se ainda restam muitas dúvidas, pelo menos uma coisa é certa: um desses quatro está envolvido no crime. Crônicas da sociedade de lady Whistledown, maio de 1816 Julia Quinn encanta... Um belo caçador de fortunas foi enfeitiçado pela debutante mais desejada da temporada. Agora ele precisa provar que o que deseja é o coração da jovem, não o dote dela. Mia Ryan delicia... Uma criada adorável e espirituosa está deslumbrada com as atenções românticas que tem recebido de um charmoso conde. Mas um relacionamento entre eles seria escandaloso e poderia arruinar a reputação dos dois. Suzanne Enoch fascina... Uma jovem inocente que passou a vida evitando escândalos de repente se vê secretamente cortejada pelo maior libertino de Londres. Karen Hawkins seduz... Um visconde que vaga sem destino volta para casa para reacender o fogo da paixão de seu casamento, mas descobre que sua linda e decidida esposa não será conquistada tão facilmente.

Resenha


Quando soube que a personagem adorada da série Os Bridgertons estaria de volta em um novo livro e fiquei mega curiosa para ler essa história. Para somar a essa novidade, foi a primeira vez que li um livro onde várias histórias se conectam, escritas por autoras diferentes, o que me permitiu a chance de conhecer a escrita da Suzanne Enoch, da Mia Ryan e da Karen Hawkins - consagradas escritoras do gênero, mas que eu não havia lido ainda.

Julia inicia o livro com O Primeiro Beijo. Nessa história conheceremos lady Mathilda Howard, filha dos condes de Canby. Tillie é a maior herdeira da temporada e agora que passou-se um ano do luto da morte de seu irmão - Harry - na batalha de Waterloo, ela está de volta à Londres e à Sociedade. No baile de lady Neeley - onde vários nobres foram com o objetivo de apreciar as famosas delícias de seu cozinheiro e onde acontecerá o evento que unirá todas as quatro histórias - ela conhecerá dois amigos de Harry, que estiveram em batalha com ele, Robert Dunlop e Peter Thompson. Robbie é divertido e um pouco sem noção, mas Peter é diferente dos outros.

Peter é o filho mais novo de um barão. Agora que voltou da guerra, precisa encontrar uma noiva e casar-se, mas é claro que ele não tem grandes pretensões, ele só quer casar-se com uma jovem de dote que permitissem viver em uma casa no campo. Depois de anos na guerra, ele só queria paz e não ser rotulado como um caça-dotes, mas infelizmente foi exatamente isso que Lady Whistledown faz em uma de suas crônicas, principalmente depois que percebe o interesse dele em Tillie. Embora saiba que não "deve" ficar com ela, Peter não consegue se afastar de Tillie, mas ela é determinada e sabe que precisará se manter firme para ficarem juntos.
Ele deu-lhe um sorriso divertido e baixou o olhar para as mãos.
Ela seguiu o olhar de Peter e só então se deu conta de que agarrava os dedos dele como  se fossem o pescoço de lady Whistledown.
— Ah — ela deixou escapar, surpresa, e em seguida sussurrou um pedido de desculpa.
— A senhorita tem o hábito de amputar os dedos de seus parceiros de dança?
— Só quando preciso torcer seus braços para que me convidem para dançar — disparou ela em resposta.
— E eu aqui pensando que a guerra era perigosa — murmurou ele.
P. 40
Na história seguinte, A Última Tentação, Mia Ryan nos apresenta Isabella Martin, a dama de companhia de lady Neeley. Bella está há duas semanas de completar trinta anos e gostaria de ter um romance em sua vida, mas é certo que, se não teve isso nos últimos vinte e nove anos, não será em duas semanas que será beijada ou viverá algo do tipo. Há dez anos ela perdeu os pais e passou a trabalhar com lady Neeley e desde então, além de ser dama de companhia, cuida das festas oferecidas por ela e por esse motivo, o conde de Waverly, que há anos pede lady Neeley em casamento, pede a ajuda dela para que organizasse uma festa na casa de seu filho, o lorde Roxbury.

Anthony Doring, tem trinta e sete anos, mas seu pai insiste em visitas semanais para lhe convencer de que deve se casar e ter um herdeiro e sua última cartada é que seu filho dê uma festa em casa, para que as jovens sintam-se motivadas a quererem casar com Anthony, que desejem morar nessa casa. Anthony só não imaginava conhecer uma pessoa tão intrigante quanto Bella, que se empolga trabalhando organizando festas, que parece estar sempre feliz, ainda que ela aparentemente não tenha motivos - na opinião dele, é claro.

Anthony acredita que seria um péssimo pai e um marido ainda pior e por esse motivo faz de tudo para mostrar uma fama de libertino, mas Bella vê o cavalheiro que ele tenta esconder de todos e ele - não em troca - mostra para ela que pode ganhar para produzir as festas que tanto adora, o que a tornará uma mulher de negócios, e consequentemente afastará (na visão dela) qualquer possibilidade de ficarem juntos.
— Por quê? — insistiu ele. — Diga-me por que a senhorita é feliz.
Ela deu de ombros e recostou-se na cadeira. Pensou sobre a pergunta por um momento e então disse:
— Este momento nunca mais vai acontecer. Este segundo acabou agora.
— Isso é um tanto profundo.
— Não me provoque se quer a minha resposta.
Bella fechou os olhos.
— Alguns momentos são fáceis. São bons, divertidos e bonitos, e fico feliz com eles. Outros não são tão fáceis. Mas minha decisão é ser feliz durante tempos difíceis, assim como nos fáceis. Não consigo controlar a maioria das coisas, mas posso controlar meus sentimentos. E quero ser feliz. Então encontro algo em cada momento que eu possa desfrutar.
P. 131-132
Na penúltima história, O Melhor dos Dois Mundos, Suzanne Enock apresenta a recatada lady Charlotte Birling, que está em vias de ser pedida em casamento pelo cansativo Herbert Beetly, algo que ela teme profundamente. A verdade é que Charlotte é super protegida pelos pais, que odeiam escândalos. Depois do que aconteceu com a prima de Charlotte, Sophia, há doze anos, eles ficaram ainda mais cautelosos, não mantendo qualquer tipo de relação com pessoas de reputação duvidosa.

Ao contrário da irmã mais velha, que casou logo na primeira temporada de apresentação, Charlotte não teve muitos pretendentes (ou quase nenhum) e seus pais conseguiram um acordo para que Herbert a cortejasse, mas ela sonha com muito mais, com um casamento por amor, que a empolgue, que a aceite como é. Ela nem sabe se isso seria possível, mas sempre que lorde Matson passa em direção ao clube para seu compromisso diário, ela faz de tudo para estar na janela é o admirar.

Há um ano Xavier foi chamado de volta para casa, depois de seis anos no exército. Com a morte do irmão mais velho ele assumiu o título de conde e passou a ter outras responsabilidades. Agora, depois de ter chegado a Londres e aproveitado o máximo possível, ele precisa encontrar uma noiva aceitável, mas Charlotte (que de longe não tem o tipo de beleza que chama atenção a primeira vista) chama sua atenção com seus comentários sinceros - não que as conversas fossem públicas.

Ainda que Xavier esteja interessado em Charlotte, seus pais não querem o nome da família ligado ao nome de um libertino que certamente não tem real intenção de casar e manter um casamento respeitável com sua filha.
— Case comigo, Charlotte — sussurrou ele.
Ela abriu a doce boca, depois a fechou novammente.
— Não posso.Não sem o consentimento deles.
Lembrando-se de que ele gostava dela em parte porque ela era uma garota de coração bom e correta, ele suspirou.
— Por um momento imagine que eu tenha a permissão deles.
— Mas você não tem. E não vai ter. Eu os amo, apesar de não acreditarem que eu conseguiria atrair alguém poe mim mesma, mas eles não vão concordar com algo que achem que possa manchar o nome da família, mesmo que seja só na imaginação deles. Por mais que eu deseje.
Era isso que queria ouvir.
— Você diria sim, se não fosse por isso.
Ela assentiu devagar.
— Sim.
— Então eu cuido do resto.
P. 210-211
Finalizando, Karen Hawkins traz em O Único Para Mim a história de lady Sophia Throckmorton Hampton. Sophia casou há doze anos com Maxwell Hampton, o visconde de Easterly, mas o casamento só durou dois meses, até que uma grande confusão acometeu a vida do casal e Max deixou a esposa e a Inglaterra para viver exilado na Itália. Mas agora, Sophia enviou uma carta ao marido pedindo a anulação do casamento, o que o levou de volta para casa e trouxe à tona os sentimentos que ambos acreditavam estarem esquecidos.

Durante todos os anos que passou na Itália Max nunca deixou que nada faltasse para Sophia, mas a verdade é que ele sentiu muita falta dela, mas o orgulho sempre o guiou e ela também não fica atrás., logo, em nenhuma de suas cartas demonstrou que sentia falta dele, apenas o quanto estava furiosa por ele ter ido embora, ainda que fosse "pelo bem dela". Eles são teimosos na mesma medida e isso faz com que muitas confusões permeiem essa história.
— Max — disse ela por fim —, quando soube que havia cometido um erro?
— Na primeira manhã em que acordei sem você. Mas saber que cometemos um erro e consertá-lo são coisas diferentes. Eu sabia que você estaria brava comigo por eu ter ido embora e que tinha todo o direito de estar. Não achei que fosse aguentar ser rejeitado mais uma vez, então esperei.
— O quê?
— Por um sinal de que me amasse. No entanto, tudo o que eu recebia eram suas cartas.
P. 338
Todas as histórias se interligam, através do roubo da joia de lady Neeley, os personagens que se conhecem, encontros entre eles (que aparecem em mais de uma história) e tudo se torna muito coeso e, embora a gente perceba a sutileza de diferença entre as escritas das autoras, a história não fica parecendo uma colcha de retalhos, todas tem início, meio e fim.

Eu adorei a experiência desse tipo de leitura e adorei ter reencontrado a incrível e inteligente lady Whistledown com seus comentários sarcásticos e ter vislumbres de personagens que já conhecemos.

Amazon | Submarino | Americanas
Comentários
5
Compartilhe

5 comentários:

  1. Ainda não consegui ler a série "Os Bridgertons", mas sinto muita vontade.
    As histórias que mais me chamaram atenção foram "A última tentação" e "O único para mim".
    Achei muito interessante as histórias estarem interligadas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Lay!
    Ver o nome da Julia Quinn realmente é um grande atrativo para leitura.
    Pelo jeito os contos tem um verto tom cômico e tem um certo mistério em relação ao tal bracelete e como amo contos, já fiquei aqui totalmente cheia de curiosidade, tanto para desvendar o mistério, para ver como os protagonistas 'brincam' com Lady Whistledown e para conhecer a escrita das outras autoras.
    Desejo um final de semana esplendoroso e um mês mais que abençoado!!
    “Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você.” (Cynthia Kersey)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu já li tantas resenhas desse livro que me deixa bastante curiosa pela leitura. Eu quero muito conhecer a escrita de Julia Quinn, as outras autoras não conheço mas quero conhecer e embarca nessa romance de época.

    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  4. Oi Layane
    Não sou fão de contos, mas quando vi esse lançamento da Julia Quinn fiquei doida para ler.. Além dos romances da autora serem lindos – apesar de clichê – são também bem divertidos, esse sumiço do bracelete mesmo ficando em segundo plano, deve ter dado um toque a mais nas histórias… Fora que tem a minha personagem favorita Lady Whistledon, então com certeza irei ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Esse livro deve ser maravilhoso, amo romances de época e Julia Quinn é uma das minhas preferidas. Ainda não li nada das outras autoras, mas curti muito todas as histórias, perfeitas como todos os romances de época. É um livro que com certeza vou procurar nas proximas visitas a livraria.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações