23 de fev de 2018


[Resenha] A Pedra Pagã - Nora Roberts

Ficha Técnica 

Título: A Pedra Pagã
Título Original: The Pagan Stone
Autor: Nora Roberts
ISBN: 978-85-8041-776-0
Páginas: 272
Ano: 2017
Tradutor: Maria Clara de Biase
Editora: Arqueiro
Partilhando visões de morte e fogo, os irmãos de sangue Cal, Fox e Gage, e as mulheres ligadas a eles pelo destino, Quinn, Layla e Cybil, não podem ignorar o fato de que o demônio está mais forte do que nunca e que a batalha final pela cidade de Hawkins Hollow está a poucos meses de acontecer. A boa notícia é que eles conseguiram a arma necessária para deter o inimigo ao unir os três pedaços de jaspe-sanguíneo. A má notícia é que ainda não sabem como usá-la e o tempo está se esgotando. Compartilhando o dom de ver o futuro, Cybil e Gage podem descobrir a resposta para esse enigma se trabalharem juntos. Só que, além de não terem nada em comum, os dois se recusam a ceder aos próprios sentimentos. Um jogador profissional como Gage sabe que se entregar a uma mulher como Cybil – com a inteligência, a força e a beleza devastadora dela – pode ser uma aposta muito alta. E qualquer erro de estratégia pode significar a diferença entre o apocalipse e o fim do pesadelo para Hawkins Hollow. Em A Pedra Pagã, Nora Roberts encerra a emocionante trilogia A Sina do Sete, uma história sobre família, amor e amizade que consegue arrancar arrepios e suspiros de seus leitores.

Resenha


Ai, ai... aquela sensação boa e ruim ao mesmo tempo de terminar uma série. A Nora mais uma vez me deixou mega feliz com a uma trilogia. A Sina dos Sete envolve magia, fantasia, romance, amizade, família e como já é de costume, Nora uniu com maestria esses elementos. Depois de conhecer a história com Irmãos de Sangue e seguir com a investigação para descobrirem como derrotar o que libertaram vinte e um anos atrás em A Maldição de Hollow, chegamos a reta final com A Pedra Pagã, quando Cal, Fox e Gage se verão novamente cara a cara com a hora da verdade, mas dessa vez eles terão os reforços imprescindíveis de Quinn, Layla e Cybil.

Se nos dois primeiros livros enquanto lidavam com os pesadelos, manifestações e outros truques do demônio Cal e Quinn iniciaram um romance em Irmãos de Sangue e Fox e Layla também se renderam ao amor em A Maldição de Hollow, já era de se esperar que Gage e Cybil se envolvessem romanticamente em A Pedra Pagã, mas conhecendo a personalidade dos dois, é de se duvidar que eles aceitariam isso assim tão fácil.
— Não. — Ela ergueu seu café e bebericou. — A cidade não é nossa. É um lar para Cal e Fox, e agora para Quinn e Layla. As pessoas se esforçam muito para proteger seus lares. Para mim, Hawkins Hollow é apenas o lugar onde me encontro. "Lar" significa as pessoas que amo. Quinn é meu lar, e agora Layla. E, por extensão, Cal e Fox. Ao que parece, você também. Não deixarei meu lar até saber que ele está seguro. Caso contrário, embora ache tudo fascinante, não iria derramar sangue por isso.
P. 17
Gage Turner foi um personagem que me intrigou desde o início da série por conta de seu passado abusivo. A vida de Gage era como a de qualquer criança até o dia em que sua mãe morreu, levando uma irmãzinha que não chegou a conhecer e a alma do pai. Bill Turner não aceitou a morte da esposa e culpou o filho por essa perda. Com isso afundou nas bebidas e frequentemente batia em Gage como se isso fosse trazer sua esposa de volta. Gage continuou seu crescimento sem pai e mãe biológicos, mas encontrou nos pais de Cal e Fox o amor de que precisava. Era de se esperar que, saindo da cidade assim que pode, Gage nunca mais pusesse os pés em Hawkins Hollow, mas o juramento feito na Pedra Pagã que libertou um demônio, o fazia voltar a cada sete anos para lutar ao lado de seus irmãos de sangue. Só isso já mostra a lealdade de Gage, mas isso não significa que ele queira qualquer proximidade com o homem que um dia foi seu pai.

Enquanto está de volta a Hollow, Bill quer se aproximar de Gage, mas ele não dá nenhuma chance. Como Bill continua morando no apartamento em cima do Bowl-a-rama, o boliche da família Hawkins que Cal gerencia agora, Gage só visita o amigo no escritório quando o homem está de folga.
— Ser mãe é estar sempre preocupada. Eu agi certo? Devia ter dito isso, feito aquilo? Então, em um estalar de dedos, seus filhos crescem. Ainda assim, você se preocupa. Eu podia ter feito isso, me lembrei de dizer aquilo? Se você tiver muita sorte, um dia um dos seus filhos... — Ela se recostou para olhar nos olhos dele. — Um dos seus filhos lhe escreve um bilhete que toca diretamente seu coração. E aí toda a preocupação desaparece... pelo menos por um momento. — Ela lhe deu um sorriso choroso. — Nunca se esqueça, Gage. Você é meu filho, e também de Franie.
P. 68
Cybil Kinsky é uma pesquisadora brilhante. Criada em uma família privilegiada financeiramente, alguns problemas fizeram sua família rever seus padrões de vida, mas também mudaram completamente a dinâmica familiar, embora não seja algo muito abordado. Nora traz o passado dela e de Gage para que possamos entender como tornaram-se as pessoas que são hoje e porque consideram o grupo que formaram como uma família de verdade.

Gage e Cybil tem o dom da visão do futuro e para ajudar a equipe a descobrir como usar o jasper-sanguíneo contra Twisse é imprescindível trabalharem juntos e para isso precisarão lidar com a atração que sentem um pelo outro.
Tudo bem que Cybil era incrível. Inteligente, esperta e atraente. Em outro tempo e lugar poderia ser divertido arriscar a sorte com ela, ver quem sairia vencedor. Mas a ideia de que forças externas, poderes antigos e tramas mágicas haviam tido um papel em juntá-los o fez optar por se precaver.
Cal e Fox podiam se envolver com suas parceiras, mas ele não tinha nascido para relacionamentos de longo prazo. O instinto lhe dizia que mesmo um de curto prazo com uma mulher como Cybil seria complicado demais para seu gosto e estilo.
P. 15
Inteligentes e jogadores natos, eles encontrarão o meio termo ideal para essa relação, lidando apenas com a paixão, deixando claro que não haverá sedução ou um relacionamento amoroso, apenas sexo de excelente qualidade (segundo Gage promete, kkk).

Enquanto trabalham juntos, os seis conseguem descobrir muito mais sobre o mistério que envolve a Pedra Pagã, como usar o jasper-sanguíneo e particularidades do dom da visão que serão muito bem-vindas, de mudanças que poderão ser o diferencial nessa batalha final, na terceira vez que "Os sete" acontecerá.

Novos reforços chegarão e certamente essa é a batalha final em Hawkins Hollow. Adorei como Nora conduziu os personagens, como tudo caminhou ao seu tempo, sem correria, sem cenas abruptas. Certamente uma trilogia de fantasia com elementos que tornam-na incrível.
— Eu formo meu próprio juízo e espero que as pessoas façam o mesmo. É isso que estou dizendo. não estou aqui com você por causa de um plano grandioso traçado antes de nós dois nascermos. Não sinto o que sinto porque alguém ou algo decidiu que eu deveria sentir. O que sinto é meu, Cybil, e por causa de como você é: sua aparência, seu cheiro, o modo como você fala e pensa. Não era isso que eu estava procurando, mas é o que sinto.
(...)
— Eu estou apaixonado por você e estou muito nervoso com isso.
P. 240-241
Amazon | Submarino | Americanas |  Cultura | Fnac | Livraria da Folha
Comentários
6
Compartilhe

6 comentários:

  1. Lay!
    A Nora Roberts tem uma criatividade estupenda, sempre trazendo um tema principal, aqui no caso a tal maldição, ao tempo que faz o romance ir se desenrolando. E ainda melhor a amizade entre os seis amigos, que fantástico!
    Preciso ler com urgência!
    Um maravilhoso final de semana!
    “Acredite que você pode, assim você já está no meio do caminho.” (Theodore Roosevelt)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  2. Oi Lay, como cê tá?

    Nora Roberts está entre minhas aquisições futuras.
    Eu sei que já devia ter tomado vergonha na cara e ter ido ler algo escrito por ela, mas ainda não o fiz. São tantos elogios feitos a ela e as histórias sempre me chamaram a atenção.

    Fiquei interessada nessa série de livros, ainda mais pela composição de conteúdo que a sinopse propõe. Espero ler em breve!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já li algumas séries e trilogias da Nora e adoro, seja com sobrenatural ou não.

      Excluir
  3. Olá Lay!
    Eu já li tantas resenhas desse livro que me deixa muito curiosa pelo livros da autora. Eu, sim já li um livro dela mas foi de banca e amei muito e tenho certeza que irei amar esse, ainda mais pela historia que é bem um mistério.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não li nenhum de banca da Nora, mas as trilogias da Fraternidade, da Magia, Quarteto de Noivas e ADOROOOOO

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações