23 de mar de 2018


[Resenha] A Lady de Lyon - Julie Garwood

Ficha Técnica 

Título: A Lady de Lyon
Título Original: The lion's lady
Autor: Julie Garwood
ISBN: 978-85-503-0261-4
Páginas: 464
Ano: 2017
Tradutor: Natália Tadeu
Editora: Universo dos Livros
Christina Bennett causou furor na sociedade londrina. A arrebatadora beldade esconde com sucesso o segredo de seu misterioso passado até a noite em que Lyon, o Marquês de Lyonwood, rouba-lhe um beijo ousado e sensual. O arrogante aristocrata com coração de pirata prova o gosto do fogo selvagem que arde por baixo do charme indiferente de Christina e anseia por possuí-la intensamente. Mas a destemida e insolente Christina não será conquistada com tanta facilidade. Dona do próprio coração e de sua fortuna, ela resiste às sensuais carícias de Lyon. Ela se atreve a não se render ao seu amor... pois, se o fizer, também terá que abrir mão de seu precioso segredo... e de seu destino prometido!

Resenha


Segundo livro que leio da Julie Garwood e mais uma vez foi uma feliz surpresa encontrar personagens tão diferentes do que estou acostumada a ler, tão diferentes do comum.  

Em A Lady de Lyon, primeiro livro da série Crown's Spies, a história já começa de maneira inesperada, pois se passa em Black Hills, região montanhosa dos Estados Unidos, em 1797, um local ermo e habitado apenas por nativos, ou selvagens como muitos chamavam os povos indígenas, e pessoas desbravadoras, que estavam em busca de uma nova vida. É nesse ambiente, mais precisamente em uma tribo dakota que essa história se inicia, nos apresentando a protagonista e nos deixando curiosos quanto ao seu desenrolar.

Anos se passam e a história chega à um baile em 1814 na Inglaterra, quando os caminhos de Christina e Lyonwood  se encontram.

Christina Bennett teve uma infância incomum para o padrão da sociedade inglesa, sua mãe casou-se com Edward Stalinsky, um homem muito poderoso, rei de um país distante, mas quando percebeu seu verdadeiro caráter, fugiu. Acusada de ser louca, fugiu para os Estados Unidos e, após sua morte, Christina foi criada pelos líderes da tribo dakota, o que fez dela a jovem guerreira destemida que é hoje. Cumprindo o pedido que a mãe deixou em um diário de que deveria tornar-se forte e buscar justiça contra Edward, ela está agora na Inglaterra, com sua tia, a condessa Patricia Cummings, seu único elo com a família de sua mãe. Mas ela tem uma grande missão pela frente.

Do outro lado dessa história temos Alexander Michael Phillips, o Marquês de Lyonwood, ou apenas Lyon como muitos o chamam. O marquês é viúvo há quatro anos e desde então não tem desejo de casar-se novamente por conta de sua falta de confiança no sexo feminino. Além disso, seu trabalho como agente da rainha aliado ao seu temperamento arredio faz com que ele seja temido por todos. Ou seja, encontrá-lo em um baile é algo realmente raro e ele só está nesse que conhece Christina porque precisa acompanhar sua irmã Diana, uma vez que sua tia Harrriett ainda não chegou à cidade para desempenhar esse papel e não é possível contar com sua mãe para isso, que, há três anos está de luto pela morte de seu primogênito, James (não gosto dele mesmo não tendo conhecido... e tenho dito).
Quando chegou em casa, aceitou o fato de que nenhum de seus argumentos razoáveis fazia qualquer diferença. Estava preso a Christina, quisesse ou não.
P. 196
Desde o primeiro momento Lyon fica encantado com a beleza de Christina, mas o encanto ganha  maiores proporções a medida que ele percebe que ela não é como as outras damas da sociedade, além do fato de que ninguém sabe do passado da jovem até dois meses antes, quando ela chegou de Boston com a tia.

Christina também sente-se atraída por Lyon, a imagem de um grande guerreiro que ele transmite a lembra de seu pai e irmão adotivos, mas ela sabe que, embora seja fácil, não deve se apaixonar por ele.

A relação dos deles é ótima, muitos desentendimentos por conta da língua (ela entende tudo ao pé da letra), por conta da personalidade deles e das diferenças de cultura. Mas o principal é ver como eles vão caminhando para o entendimento, para a aceitação do outro como ele é.
Ceder. A palavra atravessou sua mente. Era um conceito estranho para ele. Até conhecer Christina. Talvez agora, decidiu, chegara a hora de praticá-lo.
P. 378
Além dos maravilhosos protagonistas, devo citar que adorei o Conde de Rhone, único amigo de Lyon, Diana e tia Harriett. Eles me garantiram ótimas risadas durante o livro, o que foi ótimo para equilibrar a balança com os personagens que não suportei ler: Patricia, Edward e a mãe de Lyon.

Julie conseguiu unir em A Lady de Lyon duas culturas bem diferentes em uma linda história com muito romance, intriga, conspiração e busca por justiça.
Ela era sua igual em tudo. Sua paixão combinava com a dele. e no fundo de seu coração, ele sabia que ela o amava muito.
Sim, os próximos vinte anos, se Deus quisesse, iriam ser exaustivos.
E valeriam muito a pena.
P. 375
Amazon | Submarino | Americanas | Cultura | Fnac | Livraria da Folha
Comentários
8
Compartilhe

8 comentários:

  1. Oi Lay!
    Finalmente consegui acessar o blog!!!

    Ganhei esse livro ontem, de presente de aniversário!!!
    Tô louca pra ler!
    A capa é linda!

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aeeeeeeeeee, bem vinda de volta, Fernanda!
      Que delícia que ganhou esse livro, depois me conta o que achou, ok?

      Excluir
  2. Lay!
    Já gostei porque o livro se passa em uma Londres do século XXI, amo romances que são ambientados nesse século.
    Gosto dos bailes, das vestimentas, da culinária, fico encantada quando um livro é bem descritivo nesse aspecto e claro que o romance...parece ótimo.
    “Não acredite em tudo que ouvires! Há mentiras que sempre serão ditas, e verdades que jamais serão pronunciadas...” (Eliane Azevedo)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MARÇO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  3. O livro nos proporciona um romance e tanto!! Pelo visto, cheio de mistérios quanto ao passado de Christina, o que já me deixou muito curiosa para saber o que ela esconde!! Acho que Lyon vai ter que se empenhar bastante para que consiga ficar coom sua amada!

    ResponderExcluir
  4. Eu adorei a Cristina nesse livro e eu Devorei ele em questões de horas porque é bem curtinho o livro na verdade e como eu amo romances de época foi maravilhosa a experiência que eu tive com essa altura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adorei ela, bem resolvida, né Carolina?!

      Excluir
  5. hey :)

    Tua resenha garantiu para o livro um espacinho na minha wishlist.
    Gostei muito da proposta da obra e fico aqui imaginando pelo tanto de coisas que eles passariam. Mas espero que o enredo não tenha se desvinculado do objetivo da personagem em retornar para a Inglaterra.
    Ainda assim, parece que retrata um romance bem divertido entre os personagens... e como todo romance de época, já quero ler *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber disso, Jéssica ;)
      Não se desvincula, ela mantém o objetivo de ir para a Inglaterra.
      Depois me conta quando ler, tá certo?

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações