17 de mar de 2018


[Seriando um Pouquinho] Alias Grace

Sinopse: Grace Marks (Sarah Gadon) é uma jovem irlandesa de classe média baixa, que decide tentar a vida no Canadá. Contratada para trabalhar como empregada doméstica na casa de Thomas Kinnear (Paul Gross), ela é condenada à prisão perpétua pelo assassinato brutal do seu patrão e da governanta da casa, Nancy Montgomery (Anna Paquin). Passados 16 anos desde o encarceramento da imigrante, o Dr. Simon Jordan (Edward Holcroft) se apaixona por Grace e fará de tudo para descobrir a verdade sobre o caso.

Um dos grandes sucessos de crítica do ano passado, Alias Grace é uma minissérie canadense baseada no romance de Margaret Atwood (a mesma autora de The Handmaid's Tale, que foi exibida exclusivamente pelo Hulu). A trama foi adaptada por Sarah Polley e ganhou o mundo através de um serviço de streaming mais popular aqui no Brasil, a Netflix. O romance de Atwood, publicado em 1996, nos conta uma história real, com elementos ficcionais. O assassinato do fazendeiro Thomas Kinnear e de sua governanta Hannah Nancy Montgomery. O primeiro, morto com um tiro à queima roupa ao estranhar a ausência da governanta que já havia sido morta com uma machadada e estrangulada. Os culpados ou os julgados como culpados são James McDermott, 20 anos , e Grace Marks, 16 anos, empregados do fazendeiro. Condenados à morte, apenas o rapaz foi enforcado, ficando Grace condenada à prisão perpétua. Isso fez com que o caso tenha ganhado fama e despertado a  curiosidade de juristas, psicólogos e moradores.


Mas vamos à série. Alias Grace tem um roteiro forte que prende muito a atenção do expectador. A trama não veio mostrar se Grace é culpada ou não do crime, mas para promover uma discussão social sobre o papel da mulher na sociedade, esteja ela no século XIX ou no século XXI. No decorrer da trama temos a certeza de que a jovem é inocente, depois atestamos a sua culpa, mas a enxergamos novamente como uma mulher inocente. 


A história se desenvolve como uma colcha de retalhos, ao ser contada pela protagonista, através das sessões com o psicólogo, Simon. A Grace condenada, que sofreu diversos tipos de violência, vem falar da Grace recém chegada da Irlanda. Sarah Gadon consegue dizer muita coisa, mesmo usando poucas palavras, pois a direção dos episódios faz questão de abusar dos closes, cada detalhe do rosto da atriz diz algo e a cada momento conhecemos uma Grace diferente. Sara consegue mostrar a Grace inocente, manipuladora, vítima, assassina, mentirosa, exatamente como o papel pede.


A equipe de produção da séries nos faz mergulhar verdadeiramente na história. Não somente pelo figurino (que está primoroso, mostrando as diferenças das classes, da importância dos personagens e sua localização na história), mas também pelos detalhes da ambientação, dos sotaques, a presença a todo momento de colchas de retalho, simbolizando a mente de Grace. A fotografia e a Luz também são peculiares, nos passa um ar bucólico e sombrio ao mesmo tempo.


Enquanto ficamos encantados com a química entre Sarah Gadon e Edward Holcroft, Grace e Simon, respectivamente. Também somos apresentados a um elenco de coadjuvantes extremamente competentes que sabem impor sua função na trama. Mary Whitney, vivida por Rebecca Liddiard é uma espécie de alma gêmea de Grace, ela consegue completar a amiga, entanto a imigrante é passiva e tímida, Mary é tudo que Grace gostaria de ser, livre, sem papas na língua e com um certo fogo. Ela sabe o que quer e busca isso. Zachary Levi nos apresenta um Jeremiah que vem para bagunçar ainda mais a linha de raciocínio do público, sua investigação mental sob a psique de Grace pega as peças que todos achamos estar montadas e joga pra cima, fazendo com que analisemos tudo novamente e não cheguemos à uma conclusão certa sobre a inocência da protagonista. Somente assistindo a série para que cada um desenvolva sua própria teoria sobre a trama. Isso é muito bom, pois cada um vai enxergar seu próprio final.


Elenco
Sarah Gadon - Grace Marks
Edward Holcroft - Dr. Simon Jordan
Zachary Levi - Jeremiah the Peddler
Anna Paquin - Nancy Montgomery
Kerr Logan - James McDermott
Michael Therriault - Sr. McDonald

Comentários
6
Compartilhe

6 comentários:

  1. Miau!
    Já está na minha ista para poder assistir.
    Achei interessante primeiro por ser baseado em fatos reais, depois parece que tem um thriller psicológico daqueles que bem gosto de analisar ao assistir e ainda o suspense de acompanhar as memórias dela e se é ou não culpada.
    Fascinante!
    Bom domingo!
    “Quando choramos abraçados e caminhamos lado a lado. Por favor amor me acredite, não há palavras para explicar o que eu sinto...” (Renato Russo)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MARÇO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  2. Estou louca para assisitir essa série e também ler o livro. O fato de misturar fatos reais deixa tudo ainda mais interessante e podemos tirar nossas conclusões sobre a Grace, se ela é realmente uma assassina!!

    ResponderExcluir
  3. Eu quero muito ler o livro da Margaret atwood eu vou assistir a série eu simplesmente fiquei apaixonada e um pouco triste por ser apenas uma mini-série Porque a produção Foi incrível o roteiro Foi incrível as cenas o figurino foi tudo simplesmente encantador

    ResponderExcluir
  4. PARA TUDO, MIAU?!
    Eu estou me perguntando do porquê ainda não assisti essa série. A história é fantástica. Eu fiquei hipnotizada pelo trailer.
    Miau, muito obrigada por me apresentar à série. Pretendo assistir em breve, com certeza, até porque estou com diversos questionamentos a respeito da história dessa mulher!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MIAU, assisti ontem já!! Acredita?
      Eu simplesmente amei.
      Eu nem sei bem como expressar meus sentimentos depois de ter assistido à essa série.
      É como você sugeriu no fim do post, cada pessoa vai tirar suas conclusões a respeito da história de Grace Marks. Cada um vai ter a liberdade de decidir se ela é inocente ou não. O que achei muito interessante e que vale muito a pena ser discutido é a questão social vivenciada naquela época. A história traz consigo, diversos questionamentos plausíveis de discussão. Coisas já discutidas hoje em dia, mas que a história de Grace Marks possibilita uma visão ainda mais aguçada sobre a evolução da sociedade em todos os quesitos possíveis.
      Bem, é simplesmente incrível! E eu fico super grata pela recomendação que foi feita. E a quem não assistiu ainda, assistam! É curtinho, assiste rapidinho que nem se percebe o tempo passar!
      Beijinhos Miau, e espero por suas novas recomendações :) ;*

      Excluir
    2. Fico feliz que tenha gostado. Eu TB adorei a série. Estou tentando assistir coisas novas pra trazer sugestões kegais. 😄

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações