18 de set de 2018


[Resenha] Todo o Tempo do Mundo - Maurício Gomyde

Ficha Técnica 

Título: Todo o Tempo do Mundo
Autor: Maurício Gomyde
ISBN: 978-85-8246-751-0
Páginas: 351
Ano: 2018
Editora: Astral Cultural
E se você um dia descobrisse que viaja ao passado toda vez em que fica muito feliz? E que vai ao futuro toda vez em que fica muito triste? Pois isso é o que acontece com Vitor Pickett. Tudo começou na noite em que ele beijou Amanda, e Vitor nunca teve chance de descobrir se aquilo é dádiva ou maldição, porque, ao fim daquela festa, Amanda foi embora para outro canto do mundo, para nunca mais voltar. Vinte anos depois, ele é um recluso dono de vinícola numa cidadezinha do Sul do Brasil, e acha que ela morreu num atentado; Ela, entretanto, é casada e gerente da livraria mais bonita do mundo, em Buenos Aires. Mas um reencontro inesperado poderá mudar tudo. Vitor entenderá por que viaja no tempo? Amanda revelará que não é quem ele sempre imaginou? Aquele amor renascido será mais poderoso do que tudo que os separa? As respostas dependerão de Vitor subverter a lógica insana de seu corpo e conseguir alterar um fato do passado. Porque, se é verdade que quando a primeira lágrima desce do olho esquerdo, o choro é de tristeza, e quando desce do direito o choro é de felicidade, aquele poderá ser o sinal mais poderoso de suas vidas...

Resenha

Vitor e Amanda curtem a noite do baile da escola, sem imaginarem que ali será o momento do primeiro e também do último beijo entre os dois. No dia seguinte, a jovem moça viaja para fora do país e o caminho do casal é interrompido da forma mais abrupta possível. Porém, aparentemente Amanda deixa uma marca maior do que beijos e boas memórias em Vitor, pois a partir daquela última noite juntos, toda vez que o rapaz fica muito feliz ele tem a chance de reviver o seu passado, mas toda vez que ele fica muito triste, de se deslocar para o futuro.

“Todo o Tempo do Mundo” é o último livro publicado pelo autor Maurício Gomyde, e que se mostra um romance muito gostoso e também despretensioso, conseguindo introduzir em sua narrativa um artifício da ficção-científica, sem necessariamente transformar de fato a obra em tal subgênero da ficção. As personagens são bem reais, as locações são críveis e as situações não poderiam ser mais romanticamente recorrentes do que as descritas.
As lembranças que guardarei serão apenas aquelas, doces, da nossa festa de formatura.
Eu simplesmente sei que você foi a causa de tudo, Amanda.
P. 55
A atmosfera construída tanto para Vitor quando para Amanda, cada um em seu canto do mundo, são pontos chaves da obra. Enquanto ele fica recluso no sul do país e se torna um renomado produtor de espumantes, a outra mora em Buenos Aires trabalhando em uma das livrarias mais famosas e belas do planeta. Não querendo entregar muito, tenho que admitir que tais locações foram uma forma inteligente que o autor encontrou para reforçar características marcantes de cada uma das personagens, além de serem significativas para o contexto da narrativa.

Dividido entre as perspectivas de Amanda e Vitor, a escrita de “Todo o Tempo do Mundo” é daquelas bem leves, e pelo fato dos capítulos serem bem curtinhos, a leitura flui. Essa construção é muito importante para dar estrutura e suporte aos principais fatos e reviravoltas do livro, pois querendo ou não, o tempo está diretamente ligado à história, e essa movimentação é essencial para as coisas funcionarem muito bem sem necessariamente deixar o leitor perdido.
Dei um passo adiante, contornei meu braço por sua cintura fina e nossas bocas se tocaram. Senti que ela recuou de leve, depois cedeu, logo em seguida recuou outra vez, suspirou e, enfim, nos beijamos.
Tarde demais, outra vez. Fechei os olhos e os abri uma hora mais cedo…
P. 125
Não é a primeira vez na cultura brasileira que vejo romance misturado com viagens no tempo, apesar de ser a primeira no campo literário. Acredito que viagem no tempo é uma das coisas mais difíceis de produzir, pois qualquer deslize pode transformar sua criação em um grande desastre. Felizmente, Gomyde tem domínio ao trabalhar as viagens temporais de Vitor, sem contar que, foi muito inteligente e criativo ao utilizar uma antiga e batida ferramenta, de uma maneira inovadora. Um pequeno detalhe sobre essa questão temporal me incomodou mais pro final da obra, pois achei que fugiu do frescor citado, mas nada que tenha prejudicado a narrativa como um todo.

Consistente e recheado de reviravoltas, a mais nova obra de Maurício Gomyde agrada, seja por seu enredo ou por sua transparência genuína em trabalhar os sentimentos. “Todo o Tempo do Mundo” é uma interessante metáfora sobre felicidade e tristeza. Tanto o romance do livro, quanto o plot da movimentação temporal são apenas detalhes para trabalhar um elementar – mas também complexo – questionamento feito por Vitor durante toda a obra: “o que é felicidade genuína?”. Se souber a resposta, me avisa.
– O que é felicidade genuína para você?
[...]
– Acho que esse momento aqui é a coisa mais distante de toda a tristeza que já senti na vida. Amo cada segundo. Talvez seja, então, uma sequência de segundos que a gente deseja que dure pela eternidade.
P. 319
Comentários
5
Compartilhe

5 comentários:

  1. Sou maluca para conhecer as letras do Maurício e este novo trabalho do autor já tem dado o que falar.
    Além de trazer romance, traz também esse lance das viagens no tempo e ainda desta forma lúdica e única.
    Sei lá, eu acho que viveria no futuro.rs Ontem estava pensando isso, parece que ando mais triste do que feliz ;/
    Isso não é bom!
    Mas voltando ao livro, quero muito ter e ler esta obra e as demais do autor!!!
    Viva nossa literatura nacional!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi Tácio!
    Adorei sua resenha e opinião sobre o livro.
    Eu ainda não conhecia e já fiquei interessada na leitura.
    A capa tá linda, e pelo que já li sobre o autor, a escrita é boa e parece valer a pena conferir.
    Vai para os desejados.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Hey

    Não conhecia o autor, mas amo livros que envolve viagens no tempo e tudo mais ainda mais por ser nacional.

    ResponderExcluir
  4. Tácio!
    Os livros do Maurício são fantásticos, não li apenas esse e um anterior dele que foi lançado.
    Gostei de ver que ele se enveredou pelo lado da ficção genuína e abordou a viagem no tempo, tema que sempre me fascina. Já li alguma obras literárias no gênero e gostei, espero gostar desse também.
    “Sede felizes; os amigos desaparecem quando somos infelizes.” (Eurípedes)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA SETEMBRO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  5. Nunca li nd do autor mas achei a sinopse mt interessante!

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações