12 de out de 2018


[Resenha] Amar Tá Osso - Vanessa Bosso

Ficha Técnica 

Título: Amar Tá Osso
Autor: Vanessa Bosso
ISBN: 978-85-8246-760-2
Páginas: 256
Ano: 2018
Editora: Astral Cultural
Cléo tem certeza que possui o dedo podre para escolher namorados e decide fugir de relacionamentos por um tempo. Para sufocar o amor que existe dentro de si, ela se dedica de corpo e alma à clínica veterinária que tem em sociedade com sua irmã, a Franciscão. Mas, em uma manhã sossegada de domingo, dando uma caminhada com os seus dois filhos peludos, Cléo é pega de surpresa por um tiroteio que resulta em um cão ferido. A partir daquele momento, a vida da veterinária sofrerá uma guinada fenomenal. Apesar de amar tá osso nos dias de hoje, o amor existe dentro de você. Liberte-o!

Resenha


Depois de um livro que eu quase não conseguia chegar ao fim, não podia deixar meu mês terminar daquele jeito, por isso, sabia que eu tinha na minha estante o livro perfeito para esse momento, Amar Tá Osso, da Vanessa Bosso e, mais uma vez, ela me trouxe muitos sorrisos aos lábios e muitos momentos de reflexão em uma leitura rápida e deliciosa 😍.

Não sei o que acontece, mas a verdade é que sinto que os livros da Vanessa sempre têm uma mensagem para mim em meio às loucuras de suas protagonistas, sinto como se aquelas frases fossem feitas para mim, e me sinto em total sintonia com ela 🤗😍.

Em Amar Tá Osso conheceremos Cléo, uma veterinária de trinta e um anos que está muito feliz com sua vida como está: depois de ter se formado em Medicina Veterinária ela fez Mestrado e Doutorado e, há dois anos, realizou o sonho de abrir uma clínica veterinária em sociedade com sua irmã mais velha e um amigo. A Franciscão é seu xodó, ao lado dos seus meninos, Loki e Osho.
Na coleira da direita, está o estabanado golden retriever, o gigante peludo conhecido por todo o bairro como Loki. Não se trata do vilão da Marvel, vou apenas afirmar que esse cachorro é muito doido.
(...)
Na coleira da esquerda, Osho, um lhasa apso, finge não estar nem aí para as marcações de território. Dá uma cheirada no local e acha melhor guardar suas armas líquidas para um momento mais oportuno.
P. 17 
Mas para Agatha, sua irmã mais velha, depois de dois anos solteira, está na hora de Cléo se abrir novamente para o amor, mas essa não é uma tarefa fácil, afinal, seu último relacionamento terminou de uma maneira muito traumática, e suas experiências anteriores também não foram das melhores, então, é perfeitamente compreensível que ela não esteja realmente pensando nisso para sua vida. Muito melhor focar no trabalho.
— Hoje em dia, amar tá osso. É como enfrentar uma horda de bandidos armados com uma mísera flor na mão. Você é casada faz tempo, não tem noção do que está rolando no reino das conquistas amorosas.
P. 13 
Mas o destino não está nem aí para o que Cléo acha e sabe que está na hora das coisas mudarem um pouco, mas a forma como isso se inicia não é nem um pouco legal, afinal um acidente envolvendo um cão-guia será o catalisador desse encontro.

Vida é o cão-guia de Danton e, num momento extremo de proteção, se arriscará para salvar a vida de seu amigo, o que faz com que ela seja gravemente ferida e precise de cuidados urgentes. Em um domingo calmo, qual a probabilidade de Cléo estar na mesma avenida passeando calmamente com seus meninos?
A parte mais difícil na vida de um veterinário são momentos como este, em que o controle está em nossas mãos e, ao mesmo tempo, escapa delas.
P. 30 
Danton e Cléo sentem uma conexão muito intensa, acredito que também seja por conta da elevada adrenalina do momento. Cléo é uma personagem carismática e é difícil não entrar em sintonia com ela, que, como uma boa canceriana, com ascendente também em câncer, é muito teimosa e adora um drama (não que eu me identifique - escorpiana com ascendente em câncer falando aqui 😂😂😂).

Danton Lamartine é mais velho que Cléo, tem quarenta e quatro anos e é herdeiro da Lamartine Seguros. Ele nasceu com deficiência visual, mas isso não o impediu de ver o mundo, de aproveitar as diversas oportunidades que a vida lhe proporcionou. Com a morte da mãe logo depois de ter nascido e do difícil relacionamento com o pai, que parecia lhe imputar a culpa pela morte da esposa, ele tinha tudo para ser revoltado com sua condição, mas não foi o que aconteceu.

A morte do pai fez com que ele voltasse ao Brasil depois de quatro anos, afinal a matriz da empresa é aqui e não fazia sentido ele ficar na filial em Nova Iorque. O que ele não podia esperar era o encontro  de almas com Cléo.
— Quero uma conexão verdadeira, cara a cara. Quero encontrar uma pessoa do jeito antigo, numa trombada, em um supermercado, talvez até em uma viagem. Depois disso, quero viver a troca de olhares, o frio na barriga, os subsequentes sorrisos idiotas, aquela gagueira apaixonada... essas paradas legais. Mas, pelo visto, esse tipo de coisa não existe mais.
— Sendo assim...
— Sendo assim, vou ficar solteirona e com dez cachorros pra me fazer companhia. Bem simples.
P. 69 
Esse livro tem quase tudo que amo: romance, diversão, cachorros, um pouquinho só de drama, astrologia, lições, só faltou alguém muito ligado ao mundo literário 😂😂😂. Mais uma vez a Vanessa me fez relembrar porque eu amo os livros dela. A cena do acidente de Vida me lembrou - remotamente, é claro - quando Stark ficou doente e tive que levá-lo às pressas para uma clínica, sendo que na minha cidade não tem nenhuma clínica 24h e se não fosse o veterinário dele e meu amigo para nos levar à cidade vizinha, nem sei se ele teria sobrevivido. Quando voltei para casa naquele dia, tendo deixado-o internado sob os cuidados de pessoas capacitadas, meu coração estava apertado demais, vendo os brinquedos dele espalhados pela casa. Primeiro dia de férias, às vésperas de fazer uma cirurgia e meu coração estava em outro lugar. Nem consigo expressar o quanto foi maravilhosa a ligação que recebi dizendo que poderia ir buscá-lo depois de duas noites sem meu pequeno, que delícia foi trazê-lo de volta, sadio e feliz por estar em casa, só agradeço por essas pessoas que passam em nossas vidas.

Mas, voltando ao outro tópico do livro, Amar Tá Osso sim, concordo com a Cléo, mas tenho fé que o momento de cada um irá chegar - tô esperando o meu, hein Universo 😉😂 Querem um livro delicioso? Podem escolher um da Vanessa e se joguem 😉.

Compre na Amazon
Comentários
5
Compartilhe

5 comentários:

  1. Nunca li nada da Vanessa Bosso. Mas esse livro me pareceu super divertido, principalmente gostei por ter cachorro fazendo parte da história.
    Vou ler com certeza.

    ResponderExcluir
  2. Mesmo tendo muito pouco contato com as letras da autora, sei muito bem do que esta moça é capaz. Parte disso está aí acima, com a resenha deste livro, que ao mesmo tempo que tem um enredo super simples, tem também muitos temas fortes sendo abordados.
    Cães e romance sempre renderam ótimos cenários e se misturar tudo isso a uma pontinha de passado e superação, melhor ainda!
    Vai para a lista de desejados com certeza!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Amar ta osso hahahaha, as pessoas são complicadas de se amar e acabam tornando o amor complicado rs
    Os animais juntando pessoas ♥ Adorei, achei fofo rs
    Parece ser bem bonitinha a historia, com animais então n tem como n ser rs

    ResponderExcluir
  4. Lay!
    Li outros livros da autora e sempre admiro como ela consegue criar personagens divertidas, trazendo ao livro um tom mais irreverente.
    Deve ser um bom livro.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Oi Layane.
    Li apenas um livro da autora e gostei bastante da escrita.
    Gostei bastante da premissa de Amar tá osso. Parece que é uma história com romance, boas risadas, cachorros (que eu amo!) e um pouco de astrologia =)
    Uma ótima dica para sair de uma ressaca literária.
    Adorei a capa!
    beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações