25 de nov de 2018


[Resenha] Leah Fora de Sintonia - Becky Albertalli

Ficha Técnica 

Título: Leah Fora de Sintonia
Título Original: Leah on the Offbeat
Autor: Becky Albertalli
ISBN: 978-85-510-0381-7
Páginas: 319
Ano: 2018
Tradutor: Ana Rodrigues
Editora: Intrínseca
Leah odeia demonstrações públicas de afeto. Odeia clichês adolescentes. Odeia quem odeia Harry Potter. Odeia o novo namorado da mãe. Odeia pessoas fofas e felizes. Ela odeia muitas coisas e não tem o menor problema em expor suas opiniões. Mas, ultimamente, ela tem se sentido estranha, como se algo em sua vida estivesse fora de sintonia. No último ano do colégio, em poucas semanas vai ter que se despedir dos amigos, da mãe, da banda em que toca bateria, de tudo que conhece. E, para completar, seus amigos não fazem ideia de que ela pode estar apaixonada por alguém que até então odiava, uma garota que não sai de sua cabeça. Nesta sequência do sucesso Com Amor, Simon, vamos mergulhar na vida e nas dúvidas da melhor amiga de Simon Spier. Em um livro só dela, mas com participações mais do que especiais dos personagens do primeiro livro, vamos acompanhar Leah em sua luta para se encontrar e saber com quem dividir suas verdades e seus sentimentos mais profundos. Em Leah fora de sintonia, Becky Albertalli mostra por que é uma das vozes mais importantes e necessárias de sua geração. Sem nunca soar didática, a escritora lança mão dos mesmos ingredientes que tornaram Com Amor, Simon um sucesso mundial: a leveza, o senso de humor, a representatividade e a certeza de que vale a pena contar histórias sobre jovens que podem até estar perdidos, mas estão determinados a encontrar seu caminho.

Resenha

Leah está no último ano do Ensino Médio, e enquanto se prepara para ingressar em uma universidade e deixar para trás toda a vida que sempre conheceu, a jovem precisará lidar com situações que sempre estiveram presentes em sua vida, mas que ela nunca soube como lidar.

Seja o novo namorado de sua mãe, ou talvez o colega de escola que aparentemente está dando em cima dela. Mas, pode ser também a dificuldade de achar um vestido de formatura de seu número, ou simplesmente o fato de estar apaixonada por uma de suas colegas de escola. Por esses e tantos outros motivos, Leah está perdendo a cabeça, e cedo ou tarde, ela precisará se encontrar, caso queira que sua vida volte a ficar “em sintonia”

– Então, me conta! – diz minha mãe, animada, no caminho até o carro, com um sorriso no rosto.
– Não tem nada para contar.
– Nada? Temos certeza disso?
– Mãe. Para.
Afundo no banco o carro e me viro para a janela. Por um momento, ficamos em silêncio. O estacionamento está lotado de automóveis e pedestres.
P. 63

“Leah Fora de Sintonia” é um young adult escrito pela Becky Albertalli, mesma autora por detrás de “Simon VS. a Agenda Homo Sapiens” – ou conhecido também como “Com Amor, Simon”–, e o excelente “Os 27 Crushes de Molly”, todos publicados no país pela Intrínseca.

Curiosamente, “Leah Fora de Sintonia” é um spin-off de “Com Amor, Simon”, logo, a história se passa no mesmo universo deste último. Para aqueles que já leram Simon e sua desventura romântica, Leah será uma figura conhecida, pois é a melhor amiga do rapaz. Bem escrita, forte e bastante carismática, Leah é aquela personagem dona de sua própria história, estrela do seu show, e portanto, não tem como não gostar dela.

Obviamente que a escrita de Albertalli ajuda bastante, pois é rica e gostosa, o que só fortalece a beleza que é Leah e seu universo. O mais interessante é poder presenciar no livro debates importantes de maneiras naturais e verossímeis. Seja Leah e sua bissexualidade; a relação dela com sua mãe e o possível novo padrasto; o corpo de Leah que foge dos padrões impostos e como ela se ama assim mesmo; o posicionamento de Leah quando seus amigos se mostram racistas, a paixão de Leah por uma menina hétero; e tantas outras situações do cotidiano de um adolescente – e da sociedade como um todo.

A maturidade da autora em tratar desses temas é excelente. Sua destreza e capacidade de passear por muitos temas de uma forma sútil, porém firme, talvez seja a chave de ouro do livro, sem contar claramente, com a excepcionalidade que é Leah.

– É verdade. – Ela ri alto. – Nossa, garotos são tão… argh. Nunca mais vou namorar um.
– Talvez você deva namorar meninas – falo.
Ela sorri.
– Talvez eu deva mesmo.
Eu me viro para a janela na mesma hora, com o rosto pegando fogo.
P. 158

Para ser sincero, só tenho uma crítica à escrita de Becky. Logo nos primeiros capítulos do livro, ela joga para o leitor vários personagens ao mesmo tempo. São diversos nomes, poucas descrições, e mesmo que esse livro contenha personagens de outro exemplar, isso não é garantia que o leitor já teve contato anteriormente com eles. Por exemplo, eu que li “Com Amor, Simon” e conhecia esses indivíduos previamente, fiquei confuso por um bom tempo para relembrar quem era quem e qual era sua importância na narrativa.

A edição do livro, segue os moldes das demais obras de Albertalli: capas modernas e simples; títulos criativos e divertidos; e diagramação fofa. Mas, houve neste volume, um erro que eu particularmente não aprovo, e que irei julgar com todas as minhas forças! A Intrínseca achou que seria muito legal colar um adesivo na capa do livro com a cara de Simon, para poder dizer que esta obra tem relação com o filme lançado no ínicio do ano.

Eu, que achei a ideia sem pé nem cabeça, pois poluiu a bela ilustração que o livro possui, fui retirar o adesivo… e não deu outra: capa destruída. Para piorar a situação, já soube que a editora está colando adesivos em outros títulos, e ao receberem reclamações do mesmo no Instagram, respondem que tal adesivo “sai fácil”. Mentira! O meu não saiu, machucou a capa do meu livro, e tenho certeza que quem colocou tal adesivo, não esperou uma semana para tentar tirá-lo e ver a merda que ia dar.

Resumindo… Parem desde já com esses adesivos. Não é bonito, não é funcional e nós leitores não o queremos. Sei que faz parte do marketing, mas há outras dezenas de ideias que podem ser utilizadas, e que não irão depredar o próprio produto de vocês. Pior disso tudo, é a editora alegar que é simples resolver o problema, quando claramente não é, e no final das contas quem vai ficar com o livro feio e destruído somos nós leitores.

Meu estômago se agita um pouco. Ainda fico surpresa ao me dar conta de que esse fim de semana não foi só uma anomalia aleatória. Esses dias foram uma prévia da vida real. Esses lugares, essas pessoas, essa dose estranha de liberdade.
P. 194

Dito isso, queria finalizar a resenha reafirmando as qualidades de “Leah Fora de Sintonia”. Com uma personagem imponente e super excêntrica, a nova empreitada da autora Becky Albertalli é a prova que seus trabalhos atingem um nicho certo de leitores, mas que nem por isso ficará limitado à eles. Sua escrita é deliciosamente leve e curiosamente divertida e atual, e tenho certeza que irá lhe cativar, assim como me cativou. 

Compre na Amazon

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob 😉
Comentários
7
Compartilhe

7 comentários:

  1. Mesmo não tendo lido Simon, acabei vendo o filme e sei bem o quanto ambos, agradaram muito aos fãs.
    Leah chegou meio mansinho e sei lá, por tudo que andei lendo pelo mundo literário, não agradou tanto assim não.
    Talvez pelo excelente trabalho do primeiro livro, tenha se esperado demais neste acima e isso não tenha sido suprido. Talvez tenha sido Leah que não estava tão em sintonia assim com o leitor.
    Não sei...mas mesmo assim, se tiver oportunidade, quero sim, conferir!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Curiosamente eu acho “Com Amor, Simon” o livro mais fraco da autora. Na minha opinião “Leah fora de Sintonia” é muito mais interessante, com uma personagem muito mais rica.
      Mas nenhum dos dois chega a excelência de “Os 27 Crushes de Molly”, que pelo visto é o menos conhecido.
      Abraços

      Excluir
  2. Oi Tácio,
    Não li os livros anteriores, só assisti a adaptação de "Com amor, Simon" e amei, por isso coloquei os livros nos desejados.
    O legal é que a autora cria protagonistas que muitos se identificam, protagonistas reais, confesso que no começo das resenhas que vi achei a Leah meio chatinha, mas entendo a personalidade dela!
    Tenho que dizer, esse é o primeiro livro adolescente que leio, em que a protagonista está acima do peso, mas isso não é colocado em evidência, nem como algo ruim!!
    Quero ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Não é um livro que vou ler, pelo fato do tema não me agradar, mas a historia parece ser interessante.

    Beijos, Jady
    garotaeraumavez.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Tácio!
    Não li o livro anterior, mas é bom saber que as personagens se fazem presentes também nesse exemplar.
    Bacana ver que houve um crescimento e que tem trechos muito fofos.
    “Felizes são os que ajudam os pobres, pois o Senhor Deus os ajudará quando estiverem em dificuldades.” (Bíblia)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA NOVEMBRO - 5 GANHADORES – BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu já vi esse livro mas não tinha parado para observa a trama dele. Tem uma premissa ótima e me deixou bastante curiosa por ele e ainda mais com os temas bem interessantes que são abordados.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  6. Olá! Ainda não li Com amor , Simon ficou pra meta do ano que vem, essa resenha me deixou bem curiosa em ler esse também, parece ser ótimo.
    Bjs

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações