7 de nov de 2018


[Resenha] A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil - Becky Chambers

Ficha Técnica 

Título: A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil
Título Original: The long way to  small angry planet
Autor: Becky Chambers
ISBN: 978-85-9454-050-9
Páginas: 352
Ano: 2017
Tradutor: Flora Pinheiro
Editora: DarkSide Books
Você nem imagina os mistérios que existem do outro lado do Universo. Se tiver coragem de desbravá-los, é melhor se preparar. Essa não será uma jornada rápida e os perigos podem surgir a cada momento, de onde menos se espera. A boa notícia é que você não estará sozinho. Milhares de leitores em todo o mundo já embarcaram nas páginas dessa que é A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil. O livro de Becky Chambers é um marco recente no universo da ficção científica. Lançado originalmente através de financiamento coletivo pela plataforma Kickstarter, ele conquistou a crítica especializada e os ainda mais exigentes fãs do gênero, sendo indicado para prêmios respeitados, como o Prêmio Arthur C. Clarke e o Prêmio Hugo. Um dos motivos do sucesso de A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil é a abordagem da história. Elementos essenciais em qualquer narrativa de ficção científica estão muito bem representados, como a precisão científica e suas possíveis implicações políticas. O gatilho principal é a construção de um túnel espacial que permitirá ao pequeno planeta do título participar de uma aliança galáctica. Mas o que realmente torna único esse romance "On the Road" muito divertido e futurístico são seus personagens. Complexos, instigantes e tridimensionais. A autora optou por contar a história de gente como a gente, ainda que nem todos sejam terráqueos ou mesmo humanos. A tripulação da nave espacial, Andarilha, é composta por indivíduos de espécies, gêneros e planetas diferentes, incluindo um médico de gênero fluido, que transita entre o masculino e o feminino ao longo da vida e uma estagiária nascida nas colônias de Marte, uma piloto reptiliana. Temas como amizade, força feminina, novos conceitos de família, poliamor e racismo fazem parte do universo do livro, assim como cada vez mais fazem parte do nosso mundo. Becky Chambers segue os passos da pioneira Ursula K. Le Guin e inclusive presta homenagem à inventora do ansible, um dispositivo de comunicação interplanetária, em sua obra. A visão acurada e feminina de autoras como Becky e Ursula permite desconstruir velhos clichês e quem sai ganhando são os amantes da literatura de ficção científica, de todos os espécies e gêneros. Outras fontes ajudaram a formar a autora de A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil, Carl Sagan e Star Trek, por exemplo. Mas certamente suas influências estavam em casa. Becky é filha de um casal de cientistas espaciais e neta dum dos participantes do Projeto Apolo da NASA. A ciência é algo importante na família. A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil é o primeiro livro de ficção científica da linha DarkLove. Livros escritos por autoras com grandes histórias para contar prontas para desbravar novos mundos. E ele consolida a DarkSide Books no fantástico universo da ficção científica. A editora já lançou Star Wars, romance dos 3 primeiros filmes da série, e o Homem que Caiu na Terra, romance que deu origem ao primeiro filme de David Bowie como ator.

Resenha


Estava mesmo precisando de uma leitura diferente para mudar um pouco e a ficção científica A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil chegou no momento certo.

Não há mais vida na Terra. Os humanos restantes são integrantes da Comunidade Galáctica, assim como diversas outras espécies da galáxia. No início do livro, o capitão Ashby Santoso contratou uma guarda-livros, Rosemary Harper, mais uma humana que integrará a tripulação interespécie da Andarilha, uma nave especializada em fazer túneis para transporte no espaço (buracos de minhoca). A tripulação é composta pelos humanos: Ashby, Rosemary, Artis Corbin (algaísta), Jenks (técnico de computação) e Kizzy Shao (técnica mecânica); o Grum, Dr. Chef (médico e cozinheiro); a aandriskana Sissix (piloto); o Sianat Par, Ohan (navegador) e a inteligência artificial Lovelace, ou Lovey, como ela prefere ser chamada.

Quando vi Rosemary chegando à nave com um segredo, imaginei que haveria ali um romance entre ela e o capitão, mas a história não segue nesse rumo. Com a chegada dela na nave e uma nova aliança na Comunidade Galáctica com os toremi, surge a oportunidade de trabalho para a Andarilha perfurar um túnel em Hedra Ka (novo planeta dos toremi), onde seria necessária uma longa viagem para chegar lá e realizar o trabalho. A questão é que, sendo uma viagem muito longa, as paradas em terra firme seriam quase nulas e ficar muito tempo em uma nave não é psicologicamente saudável para ninguém, independente da espécie.
"Tudo o que você pode fazer, Rosemary, assim como todos nós, é trabalhar para se tornar uma força positiva. É a escolha que todo sapiente deve fazer todos os dias da sua vida. O universo é aquilo que fazemos dele. Cabe a você decidir que papel quer desempenhar. E o que vejo diante de mim é uma mulher que sabe muito bem o que quer ser."
P. 184
O tempo é contado de maneira diferente, mas fazendo mais ou menos uma relação com nossa unidade métrica, é como se a viagem até Hedra Ka levasse quase um ano. Nesse período a gente descobrirá o segredo de Rosemary, entenderá um pouco da cultura de Sissix, perceberá que a relação de Jenks e Lovey é incrível, que Ashby tem também um "segredo" - que não é um segredo, mas... e que Corbin fará uma grande descoberta sobre sua história.

Quanto mais conhecemos os personagens da Andarilha, mais a gente percebe como são reais, como têm problemas comuns e a Becky aborda muitos assuntos nesse livro: relações familiares, sexualidade, amor, amizade, companheirismo, sempre trazendo para a pauta de que é possível conviver em harmonia mesmo tendo culturas muito diferentes entre si.
"O homem ficou quieto. E então fez algo que eu nunca tinha visto antes: começou a chorar. Veja bem, na época eu não sabia que os humanos choravam, então fiquei um pouco assustado. Sabe como é perturbador ver os olhos de alguém começarem a vazar? Ah, pobre coitado, ele tentou me explicar o que era o choro enquanto passava por todos aqueles sentimentos. Nunca vou esquecer o que me disse. Ele falou: 'Isso significa que nós temos valor, que não somos irrelevantes.' E eu respondi: 'É claro que vocês têm valor. Toda vida tem valor.' E ele me disse: 'Mas agora eu sei que o restante da galáxia também pensa assim.'"
P. 226
Fiquei impressionada com esse livro e com essa jornada. A maneira como Becky fala do preconceito, como sempre julgamos em primeiro lugar, como o choque cultural atinge alguns mais do que outros, sobre lidar com espécies de gênero fluido, que nascem de um sexo e com a idade passam a ser de outro, espécies de corpos reptilianos, outros parecidos com moluscos, outros com pássaros, mas o principal é que todos vivem em comunidade.

Todos os personagens apresentados são muito complexos e a cada página eu ficava intrigada com algum deles, afinal os capítulos são narrados alternando o ponto de vista entre os tripulantes. Embora todos os personagens sejam muito importantes e interessantes, preciso dizer que as personagens femininas são extremamente fortes e são fundamentais em muitos momentos da história, seguindo a tendência atual.

Estou muito curiosa para ler A Vida Compartilhada em uma Admirável Órbita Fechada, pois o universo criado pela Becky é incrível, como desenvolveu um futuro para os humanos, como se integraram a Comunidade Galáctica, como as inteligências artificiais ganharam mais autonomia, a tecnologia, como é viver no espaço, nossa, foi incrível! Fico impressionada com tanta criatividade.

Lá vou eu ler o próximo 😉

Compre na Amazon

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob 😉
Comentários
8
Compartilhe

8 comentários:

  1. Quando vi este lançamento da DarkSide já fiquei babando nele. E mesmo que ficção científica não seja muito meu forte, entendi que este livro não apenas aborda esse lance,mas traz também toda a complexidade dos próprios personagens e é este juntar tudo que torna o enredo ainda mais fascinante.
    Gostei também de saber que a parte do romance é meio que deixada de lado, afinal, não combinaria com o enredo.
    Ah..e claro, mulheres fortes!rs
    Espero ter e ler a obra em breve.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi Layane,
    Então, eu tenho que dizer que primeiro desejei o livro pela capa, ou a edição em geral, que está belíssima, a editora como sempre arrasando!
    Agora, sobre a história, não nego que é original, e pelo que puder ver dos comentários, muito bem escrita, não teria como não conquistar os fãs do gênero. Não tenho tanta vontade de ler, por não ser um assunto que me agrada, mas vejo o potencial que o livro tem!
    Espero que curta a próxima leitura também.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Lay!
    Gosto muito de livros de ficção científica e cOm autora tão renomada, deve ser uma delícia a leitura. Sem contar com a grande lição contra o preconceito e com a convivência de humanos com povos de vários planetas diferentes, deve ser uma verdadeira viagem carregada de ação e emoção. Fiquei bem interessada pela leitura.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Já li comentários super positivos desse livro, e embora tenha resistência a ficção cientifica, acho que esse iria me agradar, justamente pela profundidade que ele abrange na sua narrativa.

    ResponderExcluir
  5. Layane do céu, já quero ler este livro.
    Olhando a capa pensei que se tratava de um romance bem dramático, mas é muito melhor. Não leio quase nada de ficção cientifica, mas amo este genero, na verdade acho que amo todos os gêneros. Fiquei super curiosa, quero ler este livro e com certeza vai para a minha lista enorme de livros que quero ler kkkkk.
    Deve ser um livro que no final você suspira e diz quero mais.
    Ótima resenha, amei.

    Beijos, Jady Santos
    http://garotaeraumavez.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Eu simplesmente desejei esse livro somente pela capa. Pelo título eu achei que fosse um livro meio infantil. Mas lendo a sua resenha me apaixonei mais ainda.
    Adorei esse universo criado que mostra seres com tantos dos nossos maiores e piores defeitos. Preciso ler!

    ResponderExcluir
  7. Oi Layane!
    Sempre leio comentários ótimos sobre esse livro, desde que comecei acompanhar notícias sobre ele tenho interesse em ler.
    As edições da Dark são lindas, espero ler em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Quando via esse livro achava uma trama diferente, nunca parei para ler sobre ele..Tem uma premissa ótima a trama, ainda mais adoro esse mundo da ciência, viagem do tempo..Adoro muito..Já fiquei curiosa em ler!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações