4 de nov de 2018


[Resenha] A Namorada Ideal - Michelle Frances

Ficha Técnica 

Título: A Namorada Ideal
Título Original: The Girlfriend
Autor: Michelle Frances
ISBN: 978-85-8246-753-4
Páginas: 448
Ano: 2018
Tradutor: Marcia Blasques
Editora: Astral Cultural
Uma garota. Um garoto. A mãe dele. E a mentira que ela desejará nunca ter contado. O quão longe você iria para proteger seu filho? Laura tem uma vida perfeita: carreira de sucesso e um casamento feliz e duradouro com um marido rico. Além disso, Daniel, seu filho de vinte e três anos, é um jovem gentil e muito bonito. Um dia, Daniel conhece Cherry, uma garota inteligente que, infelizmente, não teve a vida que gostaria ter tido. Ela quer a vida de Laura. Quando uma tragédia acontece, uma decisão é tomada em um ato de desespero e uma mentira terrível é contada, tão terrível que mudará a vida de todos para sempre.

Resenha

Daniel retornou para casa após anos fazendo faculdade de medicina, porém, a estadia na residência de seus pais não vai ser longa, pois o jovem de 23 anos está decidido a encontrar um lar para chamar de seu. Enquanto procura sua nova morada, Daniel conhece Cherry, e instantaneamente os dois percebem que possuem muitas coisas em comum.

Mas Laura, a mãe de Daniel, não vai muito com a cara da nova namorada de seu único filho. Aos olhos de Laura, Cherry é mais uma interesseira atrás de usufruir das conquistas de Daniel. Não escondendo de ninguém que não vai com a cara da menina, Laura fará tudo ao seu alcance para que os dois não fiquem juntos, sem perceber que suas ações podem acabar afastando também o seu filho.

– Deixe-o em paz. Só porque, pela primeira vez na vida do rapaz, você não sabe cada detalhe. Não interfira.
– Não estou interferindo – ela falou baixinho. De repente, quis deixar o aposento. Colocou o guardanapo sobre a mesa e se levantou. Estava prestes a levar seu prato para a cozinha quando…
– Você é obsessiva – era um rompante súbito –, possessiva.
Ela parou, mortificada.
P. 28

“A Namorada Ideal” é um romance psicológico escrito pela autora Michelle Frances. A narrativa fica a cargo de um narrador onisciente, podendo assim o leitor acompanhar os fatos tanto através dos passos de Laura, como também de Cherry. Os capítulos são curtinhos, e todos eles trazem um dia e uma data, onde iremos notar a cronologia dos fatos e como eles são desenvolvidos em relação ao tempo.

Nunca tinha lido algum trabalho de Michelle, que no passado trabalhou como produtora e editora de cinema e TV, porém fiquei satisfeito em boa parte de sua escrita. Os capítulos são relativamente curtos, as personagens são bem desenvolvidas e cheias de nuances e o enredo é intrigante. Mas, talvez, a história promete mais do que cumpre, deixando mil possibilidades em aberto, e optando por ficar em um local seguro, ao invés de ousar.

E estava acabado; estava, ela lembrou a si mesma mais tarde. Não só Cherry, mas o que acontecera com ela. A pessoa que se tornara, a quem, olhando para trás, não reconhecia. Era como se outra pessoa tivesse feito aquelas coisas, e isso a assustava, a extensão do que fizera.
P. 277

Quando se lê a sinopse do livro, você espera muitas reviravoltas e confusão entre Laura e Cherry, e de fato isto acontece, apesar de que por mais de metade da leitura tal embate é velado e extremamente cauteloso. Até que “a tal mentira” citada pela sinopse aconteça, muitas páginas precisam ser lidas, e mesmo assim, a autora opta por terminar a obra quando as coisas estão pegando fogo. Acredito que o início poderia ter sido mais enxuto, para o plot principal ter mais foco no contexto geral.

Ou seja, Frances constrói toda sua obra em cima de uma rixa entre sogra e nora, mas tal briga demora de decolar. Quando as personagens jogam tudo pro alto e decidem levantar suas armas uma contra a outra, chega o final do livro, este com um desfecho morno, simplório e decepcionante, pois tenta ser algo grandioso e surpreendente, quando de fato não é. De qualquer forma, a dúvida sobre se Laura é uma mãe super protetora e ciumenta; ou se Cherry de fato é a namorada dissimulada e interesseira, é intrigante e prende a leitura. 

– Ah, Moisés, fiz algo realmente… horrível.
E fizera. Tinha começado tudo aquilo ao contar aquela mentira monstruosa.
P. 303

Apesar de seus problemas, fiz a leitura de forma bastante rápida, pois como disse, o livro tem pontos positivos e a escrita é agradável. Eu particularmente esperava mais drama psicológico, mais carga e energia nas intenções de cada lado da história, para que o leitor pudesse ficar confuso e dividido sobre de que lado da narrativa gostaria de acreditar e defender. Como isso aconteceu de uma forma branda, restou usufruir da leitura que prometia ser um leão, mas que mostrou ser um gatinho. 

Compre na Amazon
Comentários
7
Compartilhe

7 comentários:

  1. Que bom que no final das contas a leitura acabou mesmo sendo agradável.
    Gosto de romances psicológicos, essas intrigas me prendem bastante. O ruim é saber que no melhor esse livro já vai acabar. Quem disse que todo relacionamento com a sogra é bom, não é mesmo?
    Bom, só pela capa eu já daria uma chance para leitura. Apesar dos pontos fracos, é claro que vou ler esse livro.

    ResponderExcluir
  2. Puxa, eu cheguei a pensar que o livro traria mesmo essa carga psicológica bem grande do começo ao fim, até pelo enredo muito inovador.
    Esse lance de mães super protetoras é fascinante, só não entendo.rs mas adoro!!!
    E pelo que li acima, há um mãe que passa todos os limites possíveis ali.
    Mesmo com esse lance de ter faltado talvez um aprofundamento, quero muito conferir este livro sim.
    Capa maravilhosa!!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi Tácio!
    Eu ainda não conhecia esse livro, pela sinopse parece trazer um enredo bacana apesar de algumas ressalvas, fiquei interessada pela história, vai para os desejados.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Oi Tácio,
    Eu gostei do que foi apresentado, esse clima todo de disputa, deveria deixar o livro mais eletrizante, mas, fiquei decepcionada que a autora não tenha mantido isso durante a maior parte da leitura, talvez a intenção seja escrever uma continuação, por isso um final tão abrupto! De qualquer forma, é bom saber que, ainda com ressalvas, a leitura seja prazerosa!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Tácio!
    Não conhecia o livro e se é uma leitura tão arrebatadora, com personagens que não são apenas boas, mas tem seu lado mal, deve ser muito bom e instigante.
    O enredo baseado em rixa familiar é sempre interessante, tipo ficar assistindo uma brigaa, fiquei curiosa.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Olá Tácio como vai?
    Nunca li um romance psicológico, nem nada da autora, mas lendo a sinopse e o começo da sua resenha me deu vontade de pegar este livro agora mesmo para ler, ainda mais depois de terminar de ler A mulher na janela que gostei bastante. Não estou muito acostumada com nada psicológico, mas tenho bastante interesse.
    Curti a resenha, este livro vai para a minha lista de livros que quero ler.

    Beijos, Jady Santos
    http://garotaeraumavez.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Não conhecia o livro, mas vejo uma premissa ótima e me deixou um tanto curiosa pela trama. Os personagens são cativantes e também traz aquela historia de que a mãe não gosta da namorada e faz de tudo para não estar juntos e no final acaba afastando o filho e bem peculiar essa trama..Mas fiquei curiosa em ler!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações