2 de dez de 2018


[Resenha] Uma Dama Fora dos Padrões - Julia Quinn

Ficha Técnica 

Título: Uma Dama Fora dos Padrões
Título Original: Because of Miss Bridgerton
Autor: Julia Quinn
ISBN: 978-85-8041-875-0
Páginas: 272
Ano: 2018
Tradutor: Viviane Diniz
Editora: Arqueiro
Às vezes você encontra o amor nos lugares mais inesperados... Esta não é uma dessas vezes. Todos esperam que Billie Bridgerton se case com um dos irmãos Rokesbys. As duas famílias são vizinhas há séculos e, quando criança, a levada Billie adorava brincar com Edward e Andrew. Qualquer um deles seria um marido perfeito... algum dia. Às vezes você se apaixona exatamente pela pessoa que acha que deveria... Ou não. Há apenas um irmão Rokesby que Billie simplesmente não suporta: George. Ele até pode ser o mais velho e herdeiro do condado, mas é arrogante e irritante. Billie tem certeza de que ele também não gosta nem um pouco dela, o que é perfeitamente conveniente. Mas às vezes o destino tem um senso de humor perverso... Porque quando Billie e George são obrigados a ficar juntos num lugar inusitado, um novo tipo de faísca começa a surgir. E no momento em que esses adversários da vida inteira finalmente se beijam, descobrem que a pessoa que detestam talvez seja a mesma sem a qual não conseguem viver.

Resenha


Primeiro livro da série Os Rokesbys, Uma Dama Fora dos Padrões nos leva de volta a família que tanto amamos nos últimos anos: Os Bridgertons.

Sybilla Bridgerton cresceu livremente em Aubrey Hall, em Kent, e por muitos anos foi a única filha do visconde. Embora agora tenha Edmund e Georgiana como irmãos mais novos, sua determinação já estava muito bem fundamentada para que qualquer mudança fosse feita. Seu pai sempre a levava em suas visitas pela propriedade, assim como a mãe, quando visitava os colonos. Inteligente e sagaz, Billie, como todos a chamam, foi aprendendo muito sobre suas terras e foi assumindo o controle da administração delas, afinal, seu pai não estava ficando mais novo e, até Edmund ter idade para assumir tudo, alguém precisaria fazê-lo e o administrador de seu pai não parecia muito eficiente - sem falar que não aceitava as ordens de Billie.
Ela sempre fazia o que queria, sem se importar com as consequências. Tinha agido assim a vida inteira, geralmente arrastando metade do clã Rokesby com ela.
E, de alguma forma, todos sempre a perdoavam. Billie tinha essa coisa - não era exatamente charme, mas uma confiança louca e imprudente - que fazia as pessoas ficarem ao seu lado.
P. 21
A cinco quilômetro de Aubrey Hall moravam os Rokesby, em Crake House. Graças a amizade das matriarcas das famílias e a proximidade das propriedades, as crianças cresceram juntas, com exceção de George, filho mais velho do conde de Manston. Além da diferença de idade entre ele e o próximo irmão, o pai sempre deixava claro que, sendo o mais velho e herdeiro, ele tinha muitas responsabilidades. Também é preciso dizer que seus irmãos mais novos nasceram rapidamente em sequência e, portanto, com idades próximas, tinham muito em comum entre si e com Billie. Assim, Edward, Andrew, Mary e Billie se tornaram um quarteto inseparável.
Seria justo dizer que George Rokesby, o filho mais velho do conde de Manston e atualmente conhecido pelo mundo civilizado como o visconde de Kennard, era um cavalheiro sereno. Tinha modos calmos e firmes, uma mente implacavelmente lógica e uma maneira de estreitar os olhos que assegurava que seus pedidos fossem atendidos com grande eficiência, seus desejos concedidos com ansioso prazer, e - a parte mais importante - tudo isso de acordo com o momento que ele desejasse.
P. 19
Agora Andrew e Edward servem ao rei no exército - um na Marinha e o outro na Colônia (Estados Unidos), Mary está casada e vivendo em Sussex, os caçulas das duas famílias estão em Eton e apenas Billie, Georgiana e George continuam em Kent.

Billie não quis ter uma temporada em Londres, seu objetivo era ficar em Kent e continuar cavalgando livremente por suas terras, vestindo calças e cuidando de seus negócios. Em um desses momentos de imprudência ela acaba presa em uma situação muito complicada e contará com o apoio de ninguém menos que o confiável George Rokesby. Os dois vivem em pé de guerra desde crianças, ele a repreendendo por sua imprudência, por sempre arrastar seus irmãos em suas histórias e sempre se livrarem numa boa de tudo e ela por achá-lo prepotente e arrogante.

Essa situação fará com que George e Billie passem um tempo juntos e talvez consigam perceber as qualidades um do outro, ainda que não entendam muito bem como conseguirão achar algo positivo no outro. Além disso, o retorno de Andrew para casa com um braço quebrado será mais um sopro de diversão, pois é de sua natureza estar sempre brincando.
— Pare. — Billie fez uma careta para ele antes de voltar para George. —Precisamos de você para resolver uma questão.
— Se for para decidir quem consegue escalar uma árvore mais rápido, é você, Billie — afirmou George sem pestanejar. — Se for para saber quem atira com mais precisão, é Andrew.
— Nenhuma das duas coisas — disse Billie, franzindo ligeiramente o cenho. — Tem a ver com croquet.
— Então que Deus nos ajude — murmurou George, levantando-se e seguindo para a porta.
P. 138
Naturalmente as famílias esperam que haja no futuro a união de Billie com um dos Rokesby e ela tem certeza de que será Andrew ou Edward, mas quando vemos a interação entre ela e Andrew é visível como eles se tratam como se fossem irmãos e, ainda que não vejamos ela e Edward, tenho certeza de que deve ser do mesmo jeito, afinal cresceram brincando juntos, não veem um ao outro de forma romântica. O que não acontece na relação dela com George, que parecem finalmente estar se conhecendo. Descobrindo um ao outro e se descobrindo no processo.
Ela queria beijá-lo. Queria beijar George. Tinha chegado aos 23 anos sem querer sequer flertar com um cavalheiro e agora queria George Rokesby?
Ah, aquilo era errado. Muito, muito errado. Errado de um jeito capaz de levar ao pânico, virar o mundo de cabeça para baixo e fazer o coração parar.
P. 161
Além do romance delicioso que cresce aos poucos entre Billie e George, é maravilhoso ver nela características que vimos em seus descendentes - filhos de Edmund. A impetuosidade, a determinação, o amor pela família e ainda vemos a origem do famoso jogo Pall Mall - aqui chamado de croquet - e o Taco da Morte 😂😂😂.

A diversão é garantida, podem ter certeza e Julia ainda me deixou mega curiosa a respeito do trabalho de Andrew e Edward, que espero saber em breve 😉.

Compre na Amazon

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob 😉
Comentários
6
Compartilhe

6 comentários:

  1. Oi, Layane
    Ainda não li nada da autora, espero poder começar em breve.
    Esse livro tem uma capa maravilhosa e um enredo incrível.
    Deve ser uma leitura prazerosa acompanhar a infância e depois a vida adulta dos personagens. Gostei muito de Billie ser geniosa, batalhadora, forte, amo personagens femininas assim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu amo a escrita da Julia Quinn!
    Não sabia que este livro nos trazia de volta aos Bridgertons, e amei isso! Estava com saudades dessa família.
    Adorei Billie e fiquei super curiosa para saber mais sobre ela e George!

    Ótima resenha.
    beijinhos
    She is a Bookaholic
    Minhas pequenas coisas

    ResponderExcluir
  3. Ah...como namoro este livro!rs
    Sou maluca pelas letras da Julia, mas sei lá, parece que neste livro ela caprichou ainda mais, principalmente no brincar com esse jogo de gato e rato, que eu adoro, diga-se de passagem!
    E claro, além do sentimento brotando, há também o bom humor que a autora sempre dosa com tudo isso!
    Com certeza, o livro está na lista de desejados e espero ter e ler o quanto antes!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Lay!
    Acabei de ler um livro de outra série da autora e é sempre uma leitura mais que agradável.
    O carisma e inteligência dos personagens, aliado ao sentimento de amor, amizade e companheirismo sentido ao longo da narrativa e de ambos os lados das famílias, são pontos fortes da história.
    Está na lista de leitura para esse mês.
    “A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DEZEMBRO - 7 GANHADORES – BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  5. Julia Quinn é demais. Já li O Quarteto Smythe-Smith e amei todos os personagens.
    Em Uma Dama Fora dos Padrões logo a capa já chama muito a atenção. Dá pra perceber que a mocinha é bem moleca.
    Quero muito ler!

    ResponderExcluir
  6. Ai que amor de livro, estou super ansiosa para ler, comprei mês passado e não vejo a hora de me aventurar nas paginas. Porem quero ler primeiro os Bridgertons, eu sei é uma vergonha eu ainda não ter lido esta série, mas sei que vou amar, Julia Quinn escreve de um jeito encantador.
    Suspiro só de pensar kkkk

    Beijos,
    www.garotaeraumavez.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações