14 de jul. de 2019


[Resenha] Desencontros à Beira-Mar - Jill Mansell

Ficha Técnica 

Título: Desencontros à Beira-Mar
Título Original: Meet me at Beachcomber Bay
Autor: Jill Mansell
ISBN: 978-85-8041-955-9
Páginas: 336
Ano: 2019
Tradutor: Regiane Winarski
Editora: Arqueiro
O amor está no ar na pequena cidade litorânea de St. Carys – mas à primeira vista nem dá para saber, pois seus habitantes são mestres em esconder os próprios sentimentos. Após perder a hora, Clemency é a última a entrar no avião, frustrando os planos do belo passageiro que esperava viajar ao lado de um assento vazio. Durante o trajeto, ela percebe que o simpático estranho tem tudo para ser o amor de sua vida. Mas só não conta com um pequeno detalhe: ele é casado. Três anos depois, Clemency está morando em uma casinha aconchegante perto da praia para focar na própria carreira. Tudo segue na mais perfeita ordem quando o homem apaixonante do avião, Sam, reaparece, porém não do jeito que ela gostaria: ele agora está namorando justamente sua meia-irmã, Belle. Tentando esconder os sentimentos, Clemency convence Ronan, o melhor amigo, a embarcar em um plano maluco, fingindo um relacionamento amoroso com ela. E é aí que os desentendimentos e a confusão começam. Enquanto o sol esquenta a areia e o mar turquesa cintila, uma verdade fica clara: segredos enterrados sempre acabam vindo à tona.

Resenha


Desencontros à Beira-Mar é o segundo livro que leio da coleção Romances de Hoje da Editora Arqueiro e o terceiro da Jill Mansell que tenho a oportunidade de ler.

Em uma viagem de volta de Málaga, Clemency Price quase perdeu o voo, mas depois que conseguiu garantir seu lugar, descobriu que estava sentada ao lado de um homem jovem e muito bonito, totalmente diferente do seu voo de ida, assim, ela puxa conversa, mas descobre que está sendo completamente ignorada.

Isso muda ao longo da viagem e Clem percebe que o interesse é mútuo, mas, ao desembarcar em Londres, ela descobre que Sam é casado e cada um parte para o seu lado.
Às vezes, convencer alguém a conversar quando a pessoa não queria se tornava um desafio pessoal.
P. 13
Três anos se passam, Clem deixou o emprego em uma concessionária em Northampton e voltou a morar em St. Carys, cidade litorânea na Cornualha onde cresceu e agora trabalha como corretora de imóveis. A vida ia seguindo seu curso até que a meia-irmã de Clem, Belle, pede que ela mostre para seu novo namorado algumas casas no dia seguinte. Problema número um: Clem e Belle nunca se deram bem, desde que seus pais passaram a namorar que a vida das duas é uma guerra declarada e o fato das duas terem temperamentos diferentes e serem teimosas, não ajudou muito. Problema número dois: Clem não imaginava que o novo namorado de Belle é Sam. Sim, o cara do voo está de volta a sua vida três anos depois e eles agem como se não se conhecessem.

Logo fica claro que a atração continua existindo entre eles, mas, mesmo não sendo mais casado, agora Sam está com Belle e, mesmo vivendo aos trancos e barrancos, elas têm um acordo de que namorados e ex-namorados estão proibidos.
— (...) Nunca fui infiel à minha esposa. E nunca seria. Mas conhecer você foi o maior teste do mundo, porque, se eu estivesse solteiro... bom, as coisas poderiam ter sido diferentes. Porque conhecer você e poder conversar... foi como a primeira noite em que conheci Lisa.
P. 53
Com uma narrativa em terceira pessoa, Jill alterna os capítulos entre Clem, Sam e mais alguns personagens e vemos mesmo uma série de desencontros na pequena cidade litorânea. Um dos personagens que têm vez é Ronan Byrne, chefe de Clem e um grande amigo, eles têm personalidade muito parecida e todos na cidade se perguntam quando eles finalmente ficarão juntos, mas eles sabem que não há chance disso acontecer. Ronan é um mulherengo e sua mãe sofre por ele não sossegar e lhe dar logo um neto. Por isso mesmo ele não esperava se ver tão encantado por uma mulher que não parecia querer nada com ele.

Além do romance, Jill passa, ainda que superficialmente, por assuntos como: divórcio, adoção, descoberta da sexualidade, família, luto. Eu não gostei do relacionamento entre Clem e Belle, ainda que seja o resultado de aproximadamente quinze anos de desentendimentos eu não vejo como duas mulheres adultas vivem uma relação tão adolescente. Em compensação, os demais personagens e relacionamentos me fizeram perceber como é uma ficção que poderia facilmente ser real.

Desencontros à Beira-Mar é um chick-lit fofo e agradável. Sabe aquele livro para desestressar? Esse é uma boa pedida. 😉

Compre na Amazon

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉
Comentários
3
Compartilhe

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Essa e a primeira resenha que leio desse livro
    Como você mencionou que e uma estória agradevel e fofa já pus na minha lista que não para de crescer
    Dica anotada
    O seu blog e lindo estou gostando muito de conhece_lo cada dia mais

    ResponderExcluir
  3. Gosto de romances mais leves e descontraído assim, ainda mais quando há isso do Desencontro.rs
    Sei lá, eu sou a doida romântica que quer amor em tudo e nada mais gostoso do que se perder para depois se reencontrar.
    E pelo que li acima, isso é feito com maestria.
    Com certeza, vai para a listinha dos desejados!!!!
    Beijo

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações