21 de out. de 2019


[Resenha] Um Dorama Para Chamar de Meu - Marina Carvalho

Ficha Técnica 

Título: Um Dorama Para Chamar de Meu
Autor: Marina Carvalho
ISBN: 978-85-8246-978-1
Páginas: 320
Ano: 2019
Editora: Astral Cultural
Mariana Pena orgulha-se de seu trabalho como assessora de comunicação. É tão dedicada que foi transferida para a sede da agência, a Comunicarte, em São Paulo, onde acaba recebendo maior reconhecimento profissional. Não poupa esforços para realizar suas tarefas com competência e dedicação, característica adquirida durante os anos em que treinou boxe com o pai, com quem aprendeu a ter disciplina e muita força de vontade. Não é qualquer pancada da vida que a derruba. Nem mesmo a nova missão à que foi designada: assessorar o fotógrafo sul-coreano, radicado no Brasil desde a infância, autor de coletâneas de fotografias que registram o ser humano inserido em suas rotinas, durante a turnê do último lançamento, Retratos. Além de talentoso, Joaquim Matos – ou Yoo Hwa-In – é uma personalidade bastante reconhecida por seu trabalho artístico. Um tanto introspectivo e cheio de mistério no que diz respeito a sua cultura, a missão de Mariana acaba se apresentando mais trabalhosa do que ela imaginava. E tudo complica mais um pouco quando, de repente, mensagens anônimas surgem, destinadas ao fotógrafo, todas com ameaças explícitas à vida dele. No começo Joaquim e Mariana acreditam que se trata de algum hater, do tipo que late sem morder. Porém, à medida que as abordagens vão se tornando mais concretas, surgem novas hipóteses e uma possibilidade vinda do passado, lá da Coreia do Sul ainda. Em meio a eventos literários, autógrafos, estadias em inúmeros hotéis, voos cancelados, coquetéis, discussões, nasce um vínculo entre artista e assessora que vai evoluindo para uma relação cada vez mais forte e intensa, incontrolável até. Mariana usa suas habilidades esportivas para garantir a segurança de Joaquim, mesmo que viva se colocando em risco por isso. Nessa história ainda há espaço para referências culturais coreanas, amizades fiéis, uma família para lá de eclética e um romance de tirar o fôlego.

Resenha


Quando vejo o nome da Marina Carvalho em um livro já fico doida de vontade de lê-lo, afinal é certeza de que encontrarei uma história divertida, romântica e muito bem escrita.

Dessa vez, além desses elementos, pude conhecer um pouco sobre algo que tenho visto muitos amigos comentando a respeito e me convidando para assistir: doramas. Para quem não conhece, os doramas - também conhecidos como dramas coreanos ou K-dramas são dramas televisivos em formato de minissérie da Coreia do Sul. Eu ainda não assisti nenhum, mas não foi por falta de curiosidade e sim por falta de tempo mesmo, afinal, minha lista de livros para ler e séries e filmes para assistir estão cada vez maiores (será que se eu deixar de dormir consigo dar conta? 🤔 Acho que não, né? 😅)

Pois então, em Um Dorama Para Chamar de Meu, Marina nos trará a protagonista Mariana Pena, jornalista que trabalha como assessora de imprensa em uma empresa que acabou de fechar um contrato com uma editora e seu primeiro trabalho nesse contrato será acompanhar o autor Joaquim Matos em uma turnê pelo Brasil para divulgar seu terceiro livro.
Como pode alguém ser carrancudo e doce ao mesmo tempo? Tímido e fofo? Totalmente imprevisível.
P. 97
Mariana é mineira e há um ano se mudou para São Paulo quando a empresa lhe indicou para um cargo no outro estado, mas desde que chegou, sua vida se resume praticamente em trabalho. A única exceção são seus treinos de boxe, que pratica desde a infância, influenciada pelo pai, que pratica e tem uma academia em Belo Horizonte.

Joaquim (Yoo Hwa-In, em coreano) nasceu em Seul, mas vive no Brasil desde os dez anos e por isso foi influenciado pelas duas culturas. Em casa a rigidez da cultura dos pais rivalizava com a liberdade que via os colegas de escola terem e isso fez com que Joaquim enfrentasse o pai em muitas situações, principalmente quando resolveu cursar Jornalismo e não assumir a cafeteria da família no bairro do Bom Retiro em São Paulo, bairro conhecido como sendo predominantemente um reduto dos sul-coreanos. Além dessa "rebeldia", Joaquim seguiu para a fotografia profissional, o que enfureceu ainda mais o pai, algo que, mesmo meses após a morte dele, ainda incomoda o fotógrafo.

Quando Mariana encontra Joaquim na reunião para alinhamento da turnê tem a impressão de que ele é uma "estrela" e até mesmo um pouco arrogante, mas não deixa de notar o quanto ele é bonito e charmoso. Ela só não se lembrava que já o havia conhecido e paquerado meses antes em uma das raras vezes que saiu para curtir com as amigas. Mas Joaquim se lembra muito bem.
A vida me inspira. Minha câmera é meu terceiro olho. Então, faço a fusão desses elementos e me deixo levar.
P. 124
Marina desenvolve a história entre Joaquim e Mariana aos poucos e isso é um dos fatores que me fizeram apreciar ainda mais o livro. Enquanto a turnê acontece e eles viajam pelas cidades, a curiosidade de Mariana para entender esse homem fechado faz com que busque informações sobre a cultura sul-coreana, o que a leva a descobrir os doramas, as comidas e tantas outras particularidades, sem falar em como passar a perceber como estereotipamos os ocidentais como "japa é tudo igual", como somos acostumados a ver com bons olhos apenas o que é relativo a cultura ocidental, a Europa, Estados Unidos, mas nunca o que é relativo de outros lugares como Ásia e África.

O romance é lindo de se ler e Joaquim é único realmente nesse quesito. Fiquei completamente chocada com a atitude dele quando enfim assumiu o que sentia por Mariana e, claro, os suspiros escaparam sem que eu sequer percebesse. Além do romance, sendo Um Dorama Para Chamar de Meu, claro que temos suspense e drama nessa história e muito me surpreendeu, porque realmente, mesmo especulando muitas coisas, não imaginava que a causa seria aquela.

Outro ponto a ser mencionado são os demais personagens que compõem a história: Evandro, Elisa, Mônica, Isa, Otávio, Miguel e Jang Seo-Joon são maravilhosos e até vi muitas possibilidades para pelo menos mais dois livros com esses personagens (Mari, já pensou nisso?) Se quiser deixar Lee Min-Ah de fora 😂.

Enfim, adorei e, com uma leitura muito fácil, terminei rapidinho e fiquei querendo mais e com ainda mais vontade de assistir aos doramas - ai meu pai, multiplica meu tempo, por favor 😂.

Compre na Amazon

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob 😉

Comentários
1
Compartilhe

Um comentário:

  1. ola tudo bem
    é a segunda resenha que leio sobre esse romance
    quando tiver oportunidade quero ler
    amei essa capa

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações