21 de dez. de 2019


[Resenha] Columbine - Dave Cullen

Ficha Técnica 

Título: Columbine
Título Original: Columbine
Autor: Dave Cullen
ISBN: 978-85-9454-153-6
Páginas: 544
Ano: 2019
Tradutor: Eduardo Alves
Editora: DarkSide Books
O dia 20 de abril de 1999 deixou uma marca indelével na história norte-americana. O Massacre de Columbine pode não ter sido o primeiro tiroteio em massa, mas foi o primeiro da era digital — e o primeiro de larga magnitude. Na esteira dos acontecimentos de Newtown, Aurora, Virginia Tech, Christchurch, Suzano e Ohio, torna-se cada vez mais urgente compreender e confrontar acontecimentos como o de Columbine. Nossa arma é reaprender a ouvir a dor que cresce em silêncio no outro e no cerne dos valores da nossa sociedade. Columbine é lembrado até os dias de hoje sempre que um episódio horrível e similar ocorre, mas boa parte do que sabemos sobre o massacre está errado. Erros factuais e testemunhos duvidosos propagados à época permanecem verdade absoluta para muitos; é fácil dizer que dois meninos rejeitados pelos atletas e pelas garotas, vítimas de bullying, que vestiam sobretudos e descontavam sua raiva em videogames violentos fizeram o que fizeram por essas razões, mas até que ponto isso é real? Dave Cullen foi um dos primeiros repórteres a chegar à cena e passou dez anos escrevendo Columbine, livro que hoje é considerado a obra definitiva sobre o tema. Passar tanto tempo debruçado neste projeto o fez analisar a postura da imprensa na época com olhos críticos; hoje, Cullen acha que a mídia tentou encontrar um motivo rápido demais, e um episódio que deveria promover uma discussão sobre desarmamento e saúde mental acabou se transformando em um espetáculo midiático irresponsável. Em Columbine, os episódios recontados são uma mistura das reportagens que Cullen publicou na época com anos de pesquisa — incluindo centenas de entrevistas com a maioria dos diretores envolvidos, a análise de mais de 25 mil páginas de evidências policiais, incontáveis horas de vídeo e áudio, e o trabalho extenso de outros jornalistas de confiança. Com um faro investigativo apurado e uma narrativa terna e respeitosa, Cullen apresenta o retrato de um assunto ainda infelizmente tão atual, ao mesmo tempo em que critica a cobertura massiva que se sucedeu. E questiona: por que armas de fogo ainda permanecem ao fácil alcance nos Estados Unidos? A possibilidade de se tornar uma celebridade pela mídia também mata pessoas? Será que a imprensa não deveria focar nas vítimas em vez dos assassinos?

Resenha



Fiz um experimento com um grupo de alunos durante uma aula sobre massacres escolares (sim, eu tenho esse tipo de aula) e perguntei qual tinha sido o massacre mais grave na história. A resposta não demorou: Columbine. Quando perguntei sobre o motivo do tiroteio, a turma respondeu com as razões enumeradas pela mídia exatos vinte anos atrás: bullying, perseguição e vingança. Os mitos envolvendo os assassinos continuam e o livro de Dave Cullen (em sua primeira edição no Brasil) finalmente dissipa a névoa de mistério o incidente.

O livro começa alguns dias antes do massacre, relatando alguns eventos significativos na escola, como a reunião antes do baile de formatura, e segue até o relato detalhado da ação. Todos os passos dos assassinos são recriados com base em relatos das vítimas, registros das câmeras de segurança e os diários mantidos pelos criminosos. As fontes são extensas, prova de que o autor se debruçou sobre o caso durante anos, e o resultado é um retrato minucioso não só do ataque como dos perpetradores.

A partir daí o livro segue duas linhas temporais diferentes: uma acompanha os sobreviventes e as famílias das vítimas durante a investigação que se seguiu, e a outra narra a criação do plano para atacar a escola, chegando a um ano antes do incidente. Todos os detalhes do plano são destrinchados ao longo dos capítulos, desde as listas de materiais às artimanhas usadas para conseguir o equipamento necessário.

Quando se pensa em Columbine, as duas perguntas mais recorrentes em qualquer artigo ou publicação são: a) qual a motivação por trás do massacre e b) ele poderia ter sido evitado? As duas perguntas são trabalhadas ao longo de muitas páginas, com a ajuda de profissionais de psicologia e psiquiatria e relatórios policiais. Outro aspecto muito importante analisado com afinco é o papel desempenhado pela mídia durante e depois do massacre. O autor ressalta a cobertura irresponsável, que entrevistava vítimas ao vivo e mostrava os movimentos da polícia (que podiam ser vistos pelos assassinos pelo circuito interno de TV da escola) até a manutenção de mitos sobre os atiradores. Mitos que sobrevivem até hoje e criam uma imagem que destoa do que realmente aconteceu.

Quem gosta de ler sobre crimes reais vai encontrar um material excelente neste livro. Um retrato que consegue se manter preciso sem ser apelativo ou desrespeitoso. Vale também ver a palestra da mãe de um dos atiradores e ler ou assistir Precisamos falar sobre o Kevin, inspirado em dezenas de massacres escolares.

Compre na Amazon

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉
Comentários
1
Compartilhe

Um comentário:

  1. Um dos meus livros mais desejados neste ano que termina!Aliás, ele e BTK,Máscara da Morte!
    Amo, amo de paixão os livros da DarkSide e amo mais ainda, histórias de crimes,suspense e a Editora é excepcional neste quesito(e outros mais)
    Columbine ficou para a história, infelizmente e eu preciso deste livro o quanto antes!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações