20 de abr. de 2020


[Resenha] Cretino Abusado - Penelope Ward & Vi Keeland

Ficha Técnica 

Título: Cretino Abusado
Título Original: Cocky Bastard
Autor: Penelope Ward & Vi Keeland
ISBN: 978-85-422-1144-3
Páginas: 272
Ano: 2017
Tradutor: Andréia Barboza
Editora: Essência
Após ser traída pelo ex-namorado – chefe da firma de advocacia em que trabalhava – Aubrey decide que precisa de um recomeço. Deixa tudo para trás e aceita um emprego em uma startup na Califórnia, Estados Unidos, e parte em uma viagem de carro que mudará toda a sua vida. Em uma parada na estrada, Aubrey conhece Chance, um homem atraente que viajava de moto. Com o corpo perfeito e sotaque australiano, o ex-jogador de futebol era bem convencido e arrogante. Quando sua moto quebra, Chance precisa da ajuda de Aubrey. Ele promete levá-la em segurança até seu destino em troca de uma carona, e os dois decidem seguir viagem juntos. Aubrey está traumatizada após seu último relacionamento, mas sente uma atração incontrolável por aquele cretino abusado. Apesar da ligação cada vez mais forte entre os dois, Chance guarda um segredo que poderá separá-los para sempre.

Resenha


Depois de ler o segundo, o terceiro e o quarto livro da série Cocky Bastard, finalmente consegui ler o livro que iniciou a série. Como não são histórias sequenciadas, nem com personagens que interagem entre si, consegui passear entre as leituras sem nenhum spoiler.

Aubrey Bloom é uma jovem advogada de patentes que, após descobrir a traição do namorado - que era sócio no mesmo escritório que ela -, resolveu que precisava mudar completamente de ares. Por isso deixou Chicago rumo a pequena cidade de Temecula, na Califórnia, com tudo o que tinha dentro do carro. Durante a viagem, ao passar por Nebraska, ela acaba "esbarrando" em Chance Bateman.

Chance também está a caminho da Califórnia, pois mora em Hermosa Beach, e sua parada em Nebraska seria rápida se a sua Harley não tivesse parado de funcionar de repente e precisasse de uma peça que não seria fácil de encontrar. Assim, ele se vê de carona com Aubrey, que aceitou oferecer uma carona para ele em troca dele trocar o pneu do seu carro - algo que ela não fazia a menor ideia de como fazer.

Em uma viagem de oito dias os dois vão se conhecendo, mas, por mais que Aubrey perceba que está gostando cada vez mais de Chance, ele deixa claro que sente-se atraído por ela, mas que não pode lhe dar nenhuma esperança de um relacionamento no futuro.
A única coisa que parecia certa era: ao final desta viagem, eu ia acabar machucada.
P. 65
A primeira parte do livro é narrado em primeira pessoa pela Aubrey, então não sabemos o que se passa na cabeça de Chance e ela termina de uma maneira que nos deixa atordoados. Da mesma maneira inicia a segunda parte, mas agora narrada pelo Chance, dois anos depois.

Chance retorna à vida de Aubrey e está decidido a reconquistá-la, mas essa não será uma tarefa simples, pela maneira como as coisas terminaram dois anos antes e porque ela agora tem um namorado. 
— Eu te amo, Aubrey. Você não consegue enxergar isso? Estou perdidamente apaixonado por você. Te amo mais do que tudo neste mundo. Quando olho em seus olhos, não vejo só você, vejo meus filhos. (...) Vejo meu futuro inteiro. Sem você, não vejo nada. Nada.
P. 220
A aproximação vivida por Chance e Aubrey durante os dias em que viajaram juntos rumo a Califórnia foi intensa e essa é a justificativa da força da relação entre eles, mas esse foi um casal que não me convenceu muito. Amei o Chance e seu sotaque australiano, sua beleza e impetuosidade, mas Aubrey deixou a desejar para mim. Não sei se foi o fato desse ter sido o primeiro livro que a Penelope e Vi escreveeram para a série, mas os outros casais foram muito melhores e foi difícil para mim não compará-los.

Vamos ver como será o quinto livro da série, Amante Britânico, que saiu recentemente pela Charme.

Compre na Amazon

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉
Comentários
2
Compartilhe

2 comentários:

  1. Quando essas duas lindas se juntam, o enredo pega fogo!!! Mesmo sem ter lido essa série, já conferi alguns bons livros que elas trabalharam juntas e acho linda a forma como a gente nunca sabe quem é que escreve.
    Mais um típico romance sensual, daqueles bem óbvios, mas que a gente adora!!!
    Já quero!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Angela, elas são como a Christina e Lauren, ninguém sabe qual escreve que parte. Maravilhoso, né? Amo demais!

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos. Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações