9 de mai. de 2020


[Resenha] A Metamorfose - Franz Kafka

Ficha Técnica 

Título: A Metamorfose
Título Original: Die Verwandlung
Autor: Franz Kafka
ISBN: 978-85-943-1878-7
Páginas: 96
Ano: 2019
Tradutor: Luiz A. de Araújo
Editora: Principis
O caixeiro-viajante Gregor acorda metamorfoseado em um enorme inseto e percebe que tudo mudou e não só em sua vida, mas no mundo. Ele, então, acompanha as reações de sua família ao perceberem o estranho ser em que ele se tornou. E, enquanto luta para se manter vivo, reflete sobre o comportamento de seus pais, de sua irmã e sobre a sua nova vida.






Resenha

Ler um clássico não é algo fácil para mim. Durante muito tempo criei resistência por conta de alguns títulos que tentei ler, mas não consegui. Até hoje, os únicos livros que não concluí eram clássicos. Entretanto, como mencionei na resenha de A Dama de Espadas, entrei em um clube do livro que me deu o empurrão que eu precisava. E aqui estou no segundo livro do clube, A Metamorfose, a novela mais célebre do escritor Franz Kafka, reconhecido como um dos mais influentes do século XX.

Gregor Samsa é um caixeiro-viajante que odeia o trabalho que tem, mas nem por isso deixa de fazê-lo. Desde que o negócio de seu pai quebrou e deixou a família com uma enerme dívida, Gregor foi até o credor de seu pai para trabalhar para ele e saldar a dívida e ter dinheiro para levar para casa. Mas essa novela começa na manhã em que Gregor, depois de uma noite com sonhos agitados, se vê atrasado para o trabalho e transformado em um inseto gigante monstruoso. Sim! Mas o pior é que Gregor não parece preocupado com sua transformação e sim com seu atraso para o trabalho e nas consequências que isso traria para sua família.

Com esse clímax na primeira página, em seguida, com uma narrativa em terceira pessoa, vemos o que a metamorfose de Gregor faz com ele e sua família. Enquanto passa a viver exilado em seu quarto, ele percebe que sua família também é obrigada a mudar, uma vez que ele não é mais o provedor do sustento da casa; seu pai, que desde que perdeu o negócio há cinco anos nunca mais trabalhou e engordou; sua mãe com problemas respiratórios que não conseguia fazer grandes esforços sem passar mal; e sua irmã caçula, de 17 anos, que só estudava, tocava violino e ajudava em pequenas tarefas em casa algumas vezes. Todos precisam mudar.

Ainda transformado em inseto, Gregor continua preocupado com o sustento da família, não se pergunta como aconteceu e se poderia ser revertido e isso me angustiou, essa "aceitação" da transformação, mas se formos mais fundo, veremos que ele se transformou em algo que não era no momento que assumiu a dívida do pai e mudou todo o curso de sua vida: sem tempo para viver propriamente, apenas viajando a trabalho, noite e dia, para conseguir boas vendas, comissão e assim abater muito da dívida, colocar o alimento em casa e suprir outras necessidades.

Também me angustiou ver a reação da família com Gregor, com o que aconteceu com ele e me fez pensar em como são nossas relações com nossos familiares, com nossos amigos, como somos capazes de mudar quando algo não está de acordo com o que acreditamos - mudamos ou essa sempre foi nossa verdadeira atitude?

A Metamorfose tem uma narrativa direta, sem floreios e vai fundo na alma humana. Sinceramente, ainda bem que são apenas 96 páginas, porque, o que mais seria desnudado por Kafka se continuasse por mais páginas? Certamente essa leitura traz muitas reflexões e percebi que é um daqueles livros que lemos várias e várias vezes e sempre nos fará refletir novamente e com novas observações todas as vezes.


P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉
Comentários
4
Compartilhe

4 comentários:

  1. A literatura é fascinante. "Um homem exilado em seu quarto", que ironia do destino.
    Aproveito para deixar os Parabéns à todas mamães por serem nosso farol, porto seguro e nos ensinar as primeiras lições sobre o amor. Em especial as mamães leitoras deste blog.
    Por oportuno, gostaria de lhe fazer o convite para visitar o meu novo trabalho em https://www.enfoqueextrajudicial.com.br Um projeto que estou recomeçando depois de um bom tempo fora da Blogosfera e que pra mim seria uma honra tê-la como seguidora. Que seus dias sejam repletos de paz e sabedoria. Deus a abençoe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Winderson, a literatura é fascinante e, quando entramos neste mundo, não dá mais para sair.
      E realmente é uma ironia um homem exilado em seu quarto no momento que estamos vivendo, não é mesmo?
      Obrigada pelos parabéns, embora eu seja apenas uma mãe de dog que está longe de mim neste momento, mas como ele está com a minha mãe, está muito bem. Mas sem dúvida, minha mãe foi uma grande responsável pela leitora que sou hoje.
      Bem-vindo de volta a blogosfera e vou lá conhecer o projeto.
      Fique bem!

      Excluir
  2. Isso sim é viajar num clássico daqueles!!!Um quase conto de Franz que é um ícone na literatura mundial.
    Puxa, deu até vontade reler, já que muitos detalhes ficaram perdidos na minha memória!!!
    Vou caçar!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, caça ele aí para reler, Angela.
      Eu li pela primeira vez e realmente percebi que dá para fazer tantas análises que tenho certeza de que, a cada leitura, percebemos coisas diferentes, não é mesmo?
      Quando discutimos o livro no clube on-line percebi algumas coisas que não tinha identificado quando li e isso é de uma riqueza sem igual.
      Que venham mais clássicos.
      Beijo e fique bem!

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos. Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações