12 maio, 2021


[Resenha] Cortesã por uma Noite - Lisa Kleypas

Ficha Técnica 

Título: Cortesã por uma Noite
Título Original: Someone to watch over me
Autor: Lisa Kleypas
ISBN: 978-65-5565-077-8
Páginas: 272
Ano: 2021
Tradutor: Ana Rodrigues
Editora: Arqueiro
   Certa noite, o belo e misterioso policial Grant Morgan é chamado para investigar uma vítima de afogamento no rio Tâmisa. Quando chega lá, fica surpreso ao reconhecer Vivien Rose Duvall, um de seus grandes desafetos, a mais famosa e exclusiva cortesã dos salões londrinos.
Grant fica mais surpreso ainda ao perceber que a moça está viva. Sem saber o que fazer, ele decide levá-la para casa, apesar de seu desprezo por ela. Quando Vivien acorda, porém, os dois percebem que ela não se lembra de nada.
Durante a investigação, logo fica claro que a moça sofreu uma tentativa de assassinato e que sua vida ainda está correndo perigo. Enquanto tenta protegê-la, Grant se sente cada vez mais atraído por ela. E Vivien, incapaz de recuperar a memória, se entrega de corpo e alma a seu salvador.
Nesse mistério envolvente cheio de pinceladas de romantismo, duas vidas se cruzam de maneira inesperada e uma paixão avassaladora coloca em dúvida tudo que eles achavam que sabiam.

Resenha


Sequência de resenhas da Lisa Kleypas, mas em estilos e escrito em fases diferentes de sua carreira. Cortesã por uma Noite é o primeiro livro da série Os Mistérios de Bow Street, mais recente publicação da editora Arqueiro dessa autora que já nos conquistou com suas histórias. 

Neste romance conheceremos o patrulheiro Grant Morgan, um homem conhecido em Londres por ser implacável em seu trabalho. Ele é tão bom que conquistou a atenção dos nobres e dos bancos, que passaram a requisitar seus serviços e pagar quantias consideráveis por sua solução. Mas ainda que já tenha feito a guarda de nobres, ganhado gordas recompensas, viva com mais luxo do que seus colegas de trabalho, seu emprego fixo é na Bow Street, unidade que avança na luta contra o crime e que desde que sir Ross Cannon, ganha ainda mais notoriedade, mas não tem o mesmo glamour.

Com uma infância instável desde que a família se separou e depois morreu, Grant viu na patrulha um caminho para ter uma vida digna. E, depois de ter vivido nas ruas, quem melhor do que ele para caçar os bandidos? Além do mais, sem família e sem nenhuma intenção de casar, construir uma família propagar os genes dos Morgan, ele não tinha nada a temer.

Mas certa noite, ao ser chamado para investigar um afogamento no Tâmisa, ele descobre que a vítima não está morta e é ninguém menos do que a cortesã Vivien Duvall, que há dois meses transformou sua vida em um martírio com uma fofoca maldosa. 

Por causa de sua fama, que já havia rendido alguns livros com personagens inspirados em suas proezas, Grant era convidado para diversas festas, fossem de nobres ou com convidados de índole duvidosa. Foi em um desses eventos que ele conheceu a cortesã mais requisitada de Londres: Vivien Duvall, uma ruiva estonteante que atraía a atenção de todos em sua volta e esnobava quem não tinha os requisitos mínimos para seu padrão na mesma proporção. 

Atraído por Vivien, Grant a aborda, mas reconhecendo rapidamente seu caráter, desiste da conquista. O que faz com que Vivien espalhe o boato de que ela o rejeitou por ser uma plebeu, ainda que muito rico. Com o orgulho ferido, ele promete que terá troco, mas não imaginava que seria tão rápido.

Ao salvar Vivien e levá-la para sua casa, Grant descobre que ela perdeu a memória; não faz ideia de quem seja, de onde mora, quem tentou matá-la, porque tentaram matá-la e o pior, parece uma pessoa completamente diferente da que ele conheceu dois meses atrás. 
Amava tê-la nos braços. Amava cada detalhe de Vivien, os perfeitos e os imperfeitos. Essa constatação se espalhou dentro dele como ópio, fazendo-o sentir que subia muito alto para então despencar a uma velocidade nauseante. De todas as mulheres que conhecera… por que tinha que ser ela?
P. 134
Vivien só sabe que esse é seu nome por causa de seu salvador, no momento, a única pessoa que conhece e seu porto seguro. Portanto, como ele lhe disse que ela é uma cortesã renomada, por mais que não goste dessa verdade, ela acredita nele, acredita que ele é seu atual amante. 

Durante os dias em que vivem sob o mesmo teto Vivien tenta a todo custo recuperar a memória, enquanto Grant investiga o mistério da tentativa de assassinato. Claro que, paralelo a essa confusão, eles se aproximam cada vez mais, por mais que Grant tente resistir — por saber quem ela é de verdade e por saber que voltará a ser a pessoa soberba que era quando recuperar a memória. 
Embora houvesse reconhecido com relutância seu amor por ela antes daquela noite, o sentimento agora estava carregado de promessa e deslumbramento; cada gota de amargura se fora. Grant se sentia inseguro, quase desajeitado, como uma criatura grande e alucinada cuja única esperança de felicidade fosse absurdamente precária.
P. 155
Nos capítulos alternados entre Vivien e Grant vamos descobrindo mais sobre o passado dele e nos dando conto da dualidade que Vivien é antes e depois da tentativa de assassinato que sofreu; será que alguém muda de personalidade ao perder a memória? Será que ela era assim antes e apenas tinha uma fachada diferente perante a sociedade, nos eventos que frequentava?

A curiosidade nos instiga a seguir com a leitura, afinal queremos respostas para essas perguntas e: quem tentou matar Vivien? Por quê? Ela realmente está se apaixonando por Grant? E Grant, o que sente realmente é amor ou ainda é o desejo de vingança? Se for amor o ambos realmente sentem, como um patrulheiro e uma cortesã (ambos famosos) ficariam juntos?
(…) — Chegou a tempo de me salvar. Por que se preocupar com o que poderia ter acontecido?
— Porque eu… — começou ele a dizer, mas se deteve, carrancudo. — Porque não é todo dia que um homem descobre que uma mulher pequena, frágil e dada a acidentes é o centro da existência dele.
P. 220
Ainda que a história seja muito boa, não é uma das melhores da Lisa; há quem diga que o fato deste livro ter sido escrito em 1998 é a causa e que ela evoluiu na escrita desde então. Não sei dizer se foi isso que senti, é confuso, hahaha, mas digo mesmo assim: o livro é muito bom mesmo, o mistério nos envolve do início ao fim e, pelo nome da série e pelos títulos dos próximos livros — Amante por uma Tarde e Prometida por um Dia — acredito que o mistério será o foco desta coleção assim como acredito que já conhecemos o protagonista da próxima história.


P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉
Comentários
4
Compartilhe

4 comentários:

  1. O livro que tem dividido opiniões rs
    Eu amo as letras da autora e estou com muita vontade ler esse livro.Mas admito que tenho um pouquinho de medo por conta disso, ser um livro mais "antigo" dela. Quando ela ainda não tinha essa dose de humor nos diálogos como hoje em dia.
    Algumas atitudes de Grant, também tem causado um certo incômodo e isso aguça minha curiosidade rs
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Angela, tem dividido mesmo, mas assim, de fato não se parece muito com os livros atuais da Lisa, mas está longe de ser ruim, vale com certeza pela história.
      Bjs

      Excluir
  2. Olá
    Tenho visto algumas resenhas que não sáo táo positivas a respeito desse livro .
    Mas como amo romances de época quero ler mesmo assim .
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Eliane, mas assim como você, não deixei que isso me influenciasse. Parti para a leitura sem preconceitos. Claro que não parece com os romances atuais da Lisa, mas está longe de ser ruim, vale a leitura.
      Bjs

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos. Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações