08 junho, 2021


[Resenha] Casamento para Um - Ella Maise

Ficha Técnica 

Título: Casamento para Um
Título Original: Marriage for One
Autor: Ella Maise
ISBN: 978-65-87150-04-8
Páginas: 464
Ano: 2020
Tradutor: Bianca Carvalho
Editora: Charme
Eu e Jack fizemos tudo ao contrário. No dia que me atraiu para seu escritório – e que também foi o dia que nos conhecemos –, ele me propôs casamento. Qualquer um pensaria que um cara como ele – talvez um pouco frio, mas de uma beleza impressionante e muito inatingível – só faria esse tipo de proposta ao amor da sua vida, certo? Qualquer um pensaria que ele deveria estar loucamente apaixonado.
Não. A proposta foi feita a mim. Uma completa estranha, que nunca tinha ouvido falar dele. Uma estranha que fora dispensada pelo noivo algumas semanas antes. Qualquer um pensaria que eu iria rir na cara dele, chamá-lo de louco – e alguns outros nomes – depois ir embora o mais rápido possível. Bem… eu fiz todas essas coisas, exceto a parte de ir embora.
Demorou apenas alguns minutos para me convencer a aceitar o negócio… Bem, quero dizer, casamento, e apenas alguns dias para oficialmente nos enlaçarmos. O dia mais feliz da minha vida. Mágico. Regado a champanhe… Não. Foi o pior dia. Jack Hawthorne não era nada do que eu queria para mim. Eu o culpei pelo meu lapso de julgamento. Culpei seus olhos, em um tom de oceano, que olhavam diretamente para os meus sem desculpas, e aquela carranca em seu rosto pela qual eu não tinha ideia de que ficaria tão fascinada com o tempo.
Pouco depois de ele dizer que eu era o maior erro da sua vida, as coisas começaram a mudar. Não, ele ainda não falava muito, mas qualquer um é capaz de proferir algumas palavras. Suas ações falaram mais alto para mim. E, dia após dia, meu coração começou a ter vontade própria.
Em um segundo, ele não era ninguém. No próximo, ele se tornou tudo.
Em um segundo, ele era inatingível. No outro, parecia ser completamente meu.
Em um segundo, pensei que estávamos apaixonados. No outro, não passava de uma mentira.
Afinal, eu era Rose, e ele era Jack. Estávamos condenados desde o início com esses nomes. Quem poderia esperar mais alguma coisa?

Resenha


Depois de ter amado To Love Jason Thorne e To Hate Adam Connor, eu não poderia deixar de ler Casamento para Um, mais recente história da autora trazida pela Editora Charme para o Brasil.

Rose Coleson, tem vinte e seis anos, levou um fora do noivo por meio de mensagem há algumas semanas e agora, para não perder todas as economias que fez em investimentos para o seu café, está casando com um completo desconhecido. 

Rose não lembra da mãe, que deixou a família quando ela tinha dois anos e, aos nove, perdeu o pai. Órfã e prestes a entrar no sistema, viu o tio, Gary, acolhê-la e criá-la, ainda que não fosse próximo do irmão. Ainda que tenha crescido com o tio, a tia e os dois primos, Bryan e Jodi, Rose nunca teve uma família. Mesmo Gary, que era mais próximo dela, praticamente não lhe dava qualquer atenção. Por isso, assim que teve idade, saiu da casa dos tios em busca de sua própria vida.
(…) — Me chame de antiquada, sr. Hawthorne, mas sou romântica. Acredito na ideia de me casar com alguém por amor e apenas por amor. Casamento é… Casamento significa algo completamente diferente para mim do que acho que significa para você. Não quero insultá-lo, porque não o conheço, mas você não me parece alguém que valoriza muito…
P. 24
Jack Hawthorne é um advogado de trinta e um anos – o mais jovem a entrar na sociedade da firma, algo que alcançou recentemente – que, após ter trabalhado rapidamente com Gary, descobriu que o homem havia colocado no testamento o imóvel que alugou com Rose incluindo a cláusula de que, estando casada, o imóvel iria para seu marido. Foi assim que ele entrou em ação para ajudá-la, oferecendo-se para ser o marido; em troca ele ganharia um imóvel na Avenida Madison, uma avenida muito valorizada em Nova Iorque, após dois anos de casamento. 

Rose tinha um acordo com o tio: ele alugaria o imóvel na Avenida Madison para ela abrir sua cafeteria e ela pagaria um aluguel simbólico durante dois anos, após isso, ela precisaria mudar seu negócio de lugar. Com tudo planejado, ela passou a usar suas economias para comprar o que precisaria para abrir a cafeteria, porém, tudo começou a desandar: os tios morreram em um acidente de carro; os primos não pretendem manter o acordo que ela tinha com o tio e Joshua, o dito noivo, a deixou, enviando apenas uma mensagem de texto e simplesmente sumiu.
O fato de eu tê-la praticamente empurrado – a nós, no caso – para essa situação não estava ajudando em nada. Inferno, eu nem sabia mais o que sentir, exceto culpa. Eu estava me afogando em culpa. E viver sob o mesmo teto com Rose… não melhorava as coisas. 
P. 57
Ainda que seu casamento dos sonhos fosse absolutamente diferente, ela se viu casando em um cartório, com um desconhecido lindo, tendo como testemunha apenas o motorista dele e em seguida ele viajou para Londres, onde passou quase uma semana. 

No retorno da viagem, Jack percebeu que Rose não havia se mudado para seu apartamento, mas sabendo onde encontrá-la – arrumando as coisas na cafeteria – precisava que esse casamento parecesse real para todos. Entretanto, ao mesmo tempo, precisa manter-se distante de Rose, que é o oposto dele: enquanto ele está sempre calado, sério e carrancudo, ela gosta de rir e conversar bastante. O que, convenhamos, é o mínimo que se espera de colegas de apartamento, não é mesmo? Eu mesma me obriguei a conversar e interagir com meu colega quando dividi um apartamento. São as regras! No fim, nem dói! 😂😂😂
Eram pequenas coisas assim que estavam lentamente quebrando minha determinação em evitá-la. Ninguém mais contaria os clientes. Ninguém mais abriria sorrisos tão grandes e bonitos como ela quando me via, simplesmente porque apareci. Ninguém mais trabalhava duro todos os dias e noites e ainda encontrava uma maneira de me afetar. Ninguém mais ousaria bater a porta na minha cara, mas ela fizera todas essas coisas, e por causa disso – por causa dela – eu não tinha certeza de por quanto tempo mais seria capaz de manter minha parte da farsa. 
P. 171
A questão é que, como os capítulos são alternados entre Rose e Jack, é possível saber que há mais por trás da história do que simplesmente querer ajudar alguém, por mais que ele já tivesse "conhecido" Rose algum tempo atrás. E isso nos intriga durante todo o livro, afinal, também é visível como eles vão se apaixonando durante os capítulos, enquanto convivem, se conhecem, se ajudam. 

Abrir o Café da Esquina sempre foi o sonho de Rose, mas pode ser que ela consiga mais do que imaginava com o casamento. Assim como para Jack. Enquanto li incansavelmente as páginas de Casamento para Um, e conhecia os dois, torcia demais para que, o que quer que Jack escondesse, não fosse demais para Rose perdoar, afinal ambos não tinham família, mas claramente estavam criando uma, ainda que não se dessem conta disso. Os suspiros de Rose quando Jack chegava para buscá-la no café antes de ir para casa e sempre ajudava-a com alguma coisa, arregaçando as mangas – ponto alto do dia dela –, pela presença constante dele, oferecendo ajuda, apoiando-a, estando perto, principalmente nos momentos em que mais precisa.
Completamente hipnotizada, eu assisti um sorriso curvar os cantos de sua boca. 
Perdi o ar por alguns segundos e só fiquei ali, olhando boquiaberta para ele, extasiada. 
Finalmente, finalmente, sua boca se curvou em um sorriso. Levou apenas pouco mais de um mês. Provavelmente foi minha culpa, mas, meu Deus! 
P. 216
Mas Rose também mudou a vida de Jack completamente: antes, focado apenas no trabalho, sem finais de semana, sem amigos, sem interagir com qualquer pessoa. Rose é absolutamente diferente: cumprimenta todo mundo, o porteiro – que Jack não sabia o nome, mesmo morando no edifício há dois anos –, o motorista, puxa conversa e, depois de um tempo, Jack passa a fazer o mesmo, o que é incrível. 
— Acho que não sei como fazer isso. 
— Fazer o quê? 
— Confiar em alguém. Me apoiar em alguém. Sinto que estou estragando tudo. 
— Eu quero ser essa pessoa para você, Rose. Quero ser a pessoa em que você irá se apoiar. Você e eu somos iguais. Não temos ninguém além de um ao outro. Você vai se apoiar em mim, e eu farei o mesmo. Vamos aprender como. Estamos nisso juntos.
P. 255
Mais uma vez a história da Ella Maise me conquistou do início ao fim – eu tive que deixar de fora milhões de quotes que marquei –; torci muito por Rose e Jack, para que eles não acabassem como o trágico casal de Titanic, como a própria Rose referencia, para que eles pudessem ficar juntos e construir uma família, como mereciam. Espero que em breve tenhamos mais livros dela por aqui. Já me tornei fã. 
Eu assenti, incapaz de formar duas palavras. Seu olhar se moveu pelo meu rosto, parando nos meus lábios, e eu simplesmente esqueci como respirar. O que ele estava fazendo? Que bruxaria era aquela?
Primeiro você expira e depois inspira. Não, você precisa inspirar primeiro. Você precisa de ar nos pulmões primeiro para poder expirar. 
P. 188


P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉
Comentários
0
Compartilhe

0 comentários:

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos. Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações