14 agosto, 2021


[Resenha] Apenas um Jogo - M.S. Fayes

Ficha Técnica 

Título: Apenas um Jogo
Autor: M.S. Fayes
ISBN: 978-65-5048-006-6
Páginas: 304
Ano: 2019
Editora: The Gift Box
Victorio Marquezi, mais conhecido como Vic, amava o que fazia e vivia para o basquete. Jogar era o que supria um imenso vazio em sua alma e coração, mesmo que nunca admitisse ou permitisse que outras pessoas vislumbrassem essa faceta de sua personalidade.
Vivendo com a culpa por algo que fizera no passado, Vic tentava encontrar em todas as mulheres a sombra da única que não pudera ter.
Ayla Marshall era um espírito livre. Vivia como uma cigana e dedicava sua energia a demonstrar com seu talento na dança a arte pelo qual era apaixonada desde criança.
Ela buscava fugir de qualquer espécie de problemas que tirassem seu foco ou jeito de ser.
O único conflito ao qual se arrependia de nunca ter tirado a limpo estava relacionado a Victorio Marquezi, amigo de Mila, sua melhor amiga. O sentimento de decepção e rancor sempre amargaria em seu peito, associado à intensa paixão que a mera lembrança dele despertava.
Duas almas torturadas que se atraíam e se repeliam em igual medida, mas que quando conectadas, criaram um elo indivisível.
Ayla acreditava que Vic vivia apenas pelo jogo que amava, mas ele mostraria que buscava por apenas um jogo. Um único: o de conquistar o coração da mulher que lhe ensinara a viver outra vez.

Resenha


Quando li Apenas um Toque eu fiquei apaixonada pela história de Mila e Adam, mas, em igual medida, a relação de Mila e Vic foi tão incrível que fiquei curiosa para conhecer mais sobre ele e acreditava que havia muito naquele homem que deveríamos conhecer e sim, Martinha maravilhosa nos trouxe Victorio Marquezi em um livro todinho dele, ou quase todo.

Vic e a irmã mais velha, Kyara, foram criados pela avó paterna, que não aprovava o casamento do filho e não era o exemplo de melhor avó, mas apoiavam-se um no outro e nessa relação tinham tudo de que precisavam. Com a morte da avó, Kyara, com dezenove anos e já trabalhando, tornou-se a guardiã legal de Vic, que tinha onze anos. Eles continuaram vivendo na casa que a avó deixou, mas quando Kyara começou a namorar, as coisas mudaram muito e Vic, mesmo sendo novo, percebia que havia algo de errado naquele relacionamento.

Infelizmente as suspeitas de Vic estavam certas e o relacionamento abusivo que Kyara estava vivendo levou à morte dela, deixando Vic completamente sozinho. Foi em seu último lar adotivo que ele, então com quase dezoito anos e contando os dias para sair de lá, conheceu Mila, com dezesseis, e viu nela alguém que precisava de cuidado e proteção, algo que ele negligenciou no passado e, para ele, custou a vida de Kya. Desde então, sua característica de superprotetor só evoluiu. Eles deixaram Tulsa, em Oklahoma, e foram rumo a Nova Iorque, onde conseguiram bolsas de estudos para cursarem a universidade. Foi lá que Mila conheceu Ayla Marshall.
Mila era minha redenção com Kyara. Eu era a salvação de Mila para a solidão em que ela vivia. Fomos a âncora, um do outro, nos momentos de maior tormenta. 
Posição 11%
Ayla sempre foi a diferente em sua família, que era amish. Ayla queria dançar e viver da dança, mas para isso ela precisava ganhar o mundo, o que pôde fazer quando completou dezesseis anos e a família concedeu o Rumspringa. Ela deixou Charm, em Ohio e nunca mais voltou. Buscou Claire, irmã de seu pai que era muito parecida com ela, e encontrou ali o apoio que precisava para ir atrás de seus sonhos. Foi em Nova Iorque, estudando teatro e dança na NYU que ela conheceu Mila e se tornaram grandes amigas. Também foi assim que ela conheceu o colega de apartamento de Mila, Victorio e se apaixonou por ele.

Porém, um grande mal-entendido fez com que Ayla ouvisse Vic falando mal dela para um cara em uma festa da faculdade. O que Ayla não sabia era que, o tal cara estava interessado em ficar com ela apenas por uma aposta e Vic na verdade estava com ciúmes, pois estava interessado em Ayla e não sabia como chegar nela, mas também não queria que outro cara fizesse isso.
Eu estava com medo. Porque minha atração por Ayla era algo que eu não conseguia controlar. 
Posição 10%
Fato é que, por causa desse mal-entendido, dificilmente Vic e Ayla ficam próximos, mesmo tendo a amizade de Mila em comum. Mas, com o fato de Mila e Vic terem se mudado para Houston e Ayla agora estar morando na Califórnia, realmente é irrelevante. Porém, o iminente casamento de Mila e Adam fará com que eles se aproximem, pois serão os padrinhos dela.

Com o pedido de casamento, Mila e Ethan deixaram Houston e agora estão morando em Nova Iorque, óbvio, mas isso também levou ao afastamento da única família que Vic tem. Claro que ele tem os companheiros de time — que são maravilhosos, altas gargalhadas com eles —, mas Vic nunca deu muita abertura para que daquela relação de companheirismo surgissem amizades verdades. E aquele Vic despojado que todos viam, estava longe de ser o Vic real, que ainda sofria a perda da irmã, e o pior, se culpava por isso. Havia nele claramente o medo do que ele poderia se tornar com a ausência da melhor amiga e do afilhado.
— Aprendi com um amigo que amo de paixão, que, em certos momentos, devemos nos arriscar, avançar na partida, chegar ao final dos quartos de tempo. 
Posição 24%
Para Ayla, o casamento de Mila é a união de muitas emoções: a felicidade pela amiga, que merece ser feliz ao lado do amor da vida e pai de seu filho; apreensão por precisar ficar próxima de Victorio durante os dias que antecederão a cerimônia e durante a própria cerimônia em si; e também é sua sua oportunidade de fugir. Sim, fugir da Califórnia que foi seu lar nos últimos tempos, e tudo por causa de um trabalho que parecia ser o que alavancaria sua carreira.

Ayla foi escolhida para participar do clipe de Henry Cazadeval, um famoso cantor latino, porém, as letras miúdas que ela não leu a deixaram presa a ele por três meses e ele estava decidido a tê-la como mais do que uma bailarina de seu clipe. Assim, os últimos meses na vida de Ayla foram de tensão e desespero, ciente de que aquele homem rico e poderoso não estava acostumado a ter não como resposta e que ela precisava sumir de alguma maneira. Assim, nada melhor do que desaparecer e depois do casamento de Mila ela pensaria no que fazer e para onde ir. Ela não imaginava, entretanto, neste momento, finalmente teria acertado as pontas com Vic e seguiria com ele para Houston.
Nem as melhores sessões de sexo suado do mundo conseguiram apagar a imagem de que Vic poderia ser O cara. O melhor sexo da minha vida. Sabe quando um assunto fica inacabado na sua mente, corpo e alma? Quando não assume uma definição certeira em seu coração? Era assim que me sentia com relação a Vic.
Posição 15% 
A história de Vic e Ayla é cheia de situações que poderiam ser evitadas se eles simplesmente conversassem mais, mas aí é que está, a vida é isso mesmo: cheia de mal-entendidos porque a comunicação não existe. Mas, enquanto estavam ali se descobrindo em um relacionamento — que era a primeira vez de ambos —, eu torcia demais para que eles confiassem, para que conseguissem encontrar o conforto que buscavam e que não sabiam que o outro daria — mas nós leitores tínhamos certeza que sim, encontrariam no outro o que buscavam.
Aquele pensamento me trouxe um sorriso ao rosto, bem como a certeza de que eu estava vivendo uma vida solitária, e nem ao menos imaginava. 
Perceber isso foi tão aterrador, porque com ele veio a noção de que Ayla Marshall poderia me tornar dependente de sua presença. Em apenas um dia na minha casa, eu já a queria para a vida inteira.
Posição 50%
Apenas um Jogo é uma história linda, de como o amor não diminui com o tempo nem com os desentendimentos, ele continua lá, até ser vivido, e foi o que aconteceu com Ayla e Vic. Duas almas sozinhas que encontraram um no outro o que precisavam para serem felizes.

Além disso, Martinha nos deu de presente a participação especial do nosso querido, maravilhoso e absoluto Gabe Szaloki e sua Kate, claro. Adorei reencontrá-los mesmo que rapidamente nesta história. 

Eu concluí a leitura com aquele quentinho no coração, sabem? Quando os casal está feliz, seus amigos também, o vilão teve o que mereceu e, os protagonistas conquistam mais do que o amor, mas evoluem, encontram novas amizades verdadeiras. Amo demais histórias assim. Obrigada, Martinha!
— Neste momento, Ayla, o que me protege é a sua presença. Você faz com que eu me sinta seguro. 
Posição 81% 
— Eu amo você. Para sempre. E no que depender de mim, aquilo que a aflige será o mesmo que me afligirá. O que a incomodar, me trará incômodo. Eu quero ser aquele que afugentará seu medo para longe. O que a abraçará quando sentir frio. Eu quero ser o calor que você anseia. O refrigério que arrefecerá suas queimaduras. Eu quero estar ao seu lado em todos os momentos. Seus problemas serão os meus. Suas lutas serão minhas também para lutar. 
Posição 92%

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉
Comentários
2
Compartilhe

2 comentários:

  1. Mesmo sem ter lido ainda nenhum dos livros, pelo que pude ler nessa resenha toda cheia de sentimentos, é isso. Sentir!
    Não é somente sobre o casal, é trazer personagens queridos e mostrar as várias nuances do amor que vai ali acontecendo aos poucos.
    Que delícia isso da cultura cigana e da dança também!
    Com certeza, já preciso ler eles!!
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angela, quando você ler o primeiro livro da Martinha, você vai se apaixonar e não vai largar mais, vai ver só! Garanto <3
      Bju

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos. Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações