28 março, 2022


[Resenha] A Equação Perfeita do Amor - Christina Lauren

Ficha Técnica 

Título: A Equação Perfeita do Amor
Título Original: The Soulmate Equation
Autor: Christina Lauren
ISBN: 978-65-5609-124-2
Páginas: 352
Ano: 2021
Tradutor: Marcia Men
Editora: Universo dos Livros
Uma empresa de namoro encontra matches ideais de acordo com o DNA dos usuários. Uma mãe solo cética sobre o amor descobre que tem 98% de compatibilidade com o insuportável fundador da empresa — mas será que na prática o relacionamento dos dois é compatível com as estatísticas?
Jessica Davis não está interessada em namorar. Sendo mãe solo, está sempre muito ocupada criando a amada filha, Juno, e para isso conta com a ajuda de seus avós (que também criaram Jess). Entre seu trabalho com estatística, ajudar Juno com projetos escolares e salvar a mãe adicta sempre que ela se mete em encrencas, a rotina de Jess já está bem atribulada.
Certo dia, porém, quando ela e sua melhor amiga Fizzy estão trabalhando num café, elas começam a conversar com um freguês habitual. Ele é o doutor River Peña, fundador de uma recém-aberta agência de namoros, a GeneticÀmente, que dá matches nos usuários com base no DNA de cada um. Ao ceder ante a insistência de Fizzy, entregando uma amostra de sua saliva para a empresa, Jess descobre que tem uma compatibilidade de 98% com River, um homem que ela já não suporta, e com quem não tem o menor interesse de explorar nada.
Mas, com problemas financeiros se acumulando, Jess vê na GeneticÀmente uma solução, pois a agência lhe oferece uma tentadora quantia de dinheiro caso dê uma chance ao match. E, à medida que Jess conhece o verdadeiro River, ela passa a imaginar que os dados talvez estejam mais corretos do que ela própria gostaria de admitir.

Resenha


Embora eu ame a escrita da Christina e da Lauren, tem bastante tempo que não leio um livro delas (e não sei dizer o motivo disso), mas aqui estou eu para acabar com este problema.😂

Assim como todos os outros livros da dupla, devorei A Equação Perfeita do Amor, onde somos levados a San Diego, Califórnia e conhecemos Jessica Davis, uma mulher de vinte e nove anos, mãe solo da pequena Juno, de sete anos, especialista freelancer em estatística. Jess foi criada pelos avós maternos pois a mãe sempre enfrentou problemas com vício em drogas e logo abriu mão da criação da filha, mas foi a melhor coisa que poderia ter acontecido a ela. Porém, ser mãe solo aos vinte e dois anos definitivamente não estava nos seus planos e quando o namorado e pai da criança disse que não tinha nenhum interesse em ter filhos e assumir a criança, ela assumiu às rédeas — com o apoio dos avós, claro. Assim, morando próximo a eles em um pequeno apartamento no terreno dos avós, Jess vive para eles, para a filha e para trabalhar, pois, como não tem um emprego fixo, ela vive preocupada com tudo — plano de saúde caso alguém fique doente, escola, faculdade de Juno no futuro, imprevistos caso perca algum cliente. Ou seja, ela não tem tempo para pensar em namorar, mesmo que sua melhor amiga, Fizzy, insista nisso.
— A compatibilidade biológica independe de gostarmos um do outro ou não.
Uma risada horrorizada escapou dela.
— Esse é o slogan da empresa ou é a sua melhor cantada?
Posição 19%
Felicity Chen tem trinta e quatro anos e é escritora de romances e por causa do trabalho das duas elas "montaram escritório" no Twiggs, um café perto da casa de Jess, onde podiam usar o Wi-Fi, pedir um bom café, comer muffins e ainda ver as pessoas, o que para o trabalho de Fizzy era ótimo. Ela também adora se aventurar no mundo dos encontros virtuais e, às vezes, consegue fazer com que Jess se aventure em alguns. E é no Twiggs que elas descobrem, por Daniel, é claro, que um dos clientes usuais — que elas chamam de Americano, por causa da bebida que ele sempre pede — está criando um aplicativo de namoros. E isso não poderia ser mais surpreendente! Vou contar o porquê.
— River é atraente. Todos nós podemos ver isso. — Ela cometeu o erro de, por instinto, dar uma espiadela na direção dele ao dizer isso, e notou um músculo se movendo para cima no canto dos lábios dele. Aquilo a amoleceu, inclinando-se na direção dele, e a autopreservação lhe subiu pela garganta. Ela odiou. — Mas falar com ele é como conversar com uma calculadora ranzinza.
Posição 27%
O tal cliente que elas observam há dois anos entra no Twiggs todos os dias absolutamente lindo e bem-vestido sempre pontualmente às 08h24, mas não faz contato visual com ninguém além de Daniel para pedir o mesmo café e vai embora. Como esse homem pode estar envolvido na construção de um aplicativo de relacionamentos? Claro que a curiosidade fala mais alto e elas o abordam no café o logo vão na empresa, GeneticÀmente, para conhecer o projeto, que consiste em fazer matches através da combinação genética dos membros inscritos.

Conhecendo as amigas, sabemos que Fizzy logo se empolga e se cadastra, mas Jess não leva a sério até que em uma noite, depois de um dia DAQUELES, ela acaba usando o kit que ganhou da amiga e manda sua amostra de DNA (saliva) e faz o cadastro no aplicativo. O que ela não esperava era que esse "momento de fraqueza" com tantos filtros e exigências lhe renderia um match com 98% de compatibilidade.😱 Muito menos que o match fosse com o cliente 00001, ninguém menos que o doutor River Peña, o Americano.
Eles falaram ao mesmo tempo:
— Você está usando perfume?
— Você está usando colônia?
A pergunta dela ecoou por último, e mais alto. Ele estava corando?
— Um pouco. Minhas irmãs… — Ele pigarreou. — Elas me disseram para ir até a Neiman Marcus pegar algumas recomendações.
Posição 51%
River tem trinta e cinco anos, é o caçula de três filhos e passou os últimos quinze anos de sua vida se dedicando a sua pesquisa e agora, a empresa que ajudou a construir, está prestes a abrir o capital e a ficar conhecida mundialmente, o que ampliará o número de inscritos e, consequentemente, a possibilidade de matches. Entretanto, sua pesquisa é revolucionária não apenas porque dará às pessoas a chance de encontrar sua alma gêmea, mas também porque as pessoas poderão encontrar o melhor gestor para sua empresa, a melhor babá para seu filho, a melhor cuidadora para seus pais e tantas outras implicações.

River é tão focado no trabalho — e suas cem horas de trabalho semanais — que ele não pensa em relacionamentos, por isso ele nem lembrava que seu perfil estava ativo e nem esperava ter um match de 98% de compatibilidade. Quais eram as chances?
Claro: River não era um cuzão insensível e grosso. Ele era tímido. (…) Jess sentia isso com tanta clareza como se tivesse acabado de ler num panfleto intitulado Instruções para a sua Alma Gêmea.
Posição 53%
Sendo cientistas, Jess e River são céticos em relação aos números — mesmo River sendo um dos criadores do projeto, ele não imaginava haver uma compatibilidade tão alta —, mas os outros membros da empresa estão dispostos a fazer esse casal dar certo, afinal, esse match não poderia ter acontecido em um momento mercadológico melhor. Para convencer River, usaram argumentos empresariais, e para convencer Jess, usaram o financeiro, mas a verdade é que, quanto mais eles se encontravam, mais víamos a atração e a compatibilidade entre eles e tudo só vai aumentando ao ponto de sabermos que não se trata mais de um escore de aplicativo e sim de um sentimento real. Mas eles sabem?
— Eu tô com medo, tá? Não quero me machucar, e quero menos ainda que a Juno saia machucada. Ela nunca… — Jess se interrompeu, refraseando. — A Juno nunca levou um sumiço de alguém que ela amasse.
Posição 64%
Ainda mais incrível do que o relacionamento que eles desenvolvem ao longo dos capítulos é o relacionamento de Jess com a família: os avós, a amiga e a filha. Aliás, a pequena Juno rouba a cena sempre que aparece. Ela é maravilhosa, conquista todo mundo e não seria diferente com River. Não menos incrível é o relacionamento de River com as irmãs mais velhas, que são superintrometidas, ele reclama, mas ama. Adoro!😍

Ao longo do livro Christina e Lauren tratam do romance, tratam de família biológica, mas também tratam de família do coração, de como às vezes pessoas que são sangue do nosso sangue são tóxicas e precisamos nos afastar delas para sermos felizes enquanto outras que não tem nosso sangue correndo nas veias estão ali "ao nosso lado" para qualquer batalha, e isso é o que importa. 

Digo para vocês novamente, devorei o livro e terminei com o coração quentinho e feliz demais! ❤️
— Eu quero estar aqui para te trazer café. Quero te levar para jantar e pedir o mesmo prato e quero escutar você dizendo as probabilidades de que a gente fosse se encontrar. Quero frequentar e odiar eventos sociais chiques com você. — Jess riu, uma explosão surpresa de som, e o tom dele se aveludou. — Quero que você me peça ajuda, sem um pedido de desculpas já na ponta da língua. Quero sentir que posso te beijar de novo perto do seu carro no final da noite. — Ele engoliu em seco. — Eu quero você na minha cama.
Posição 64%

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉
Comentários
0
Compartilhe

0 comentários:

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos. Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações