25 abril, 2022


[Resenha] Quem Quer Casar com um Duque? - Sabrina Jeffries

Ficha Técnica 

Título: Quem Quer Casar com um Duque?
Título Original: Who Wants to Marry a Duke
Autor: Sabrina Jeffries
ISBN: 978-65-5565-262-8
Páginas: 240
Ano: 2022
Tradutor: Michele Gerhardt MacCulloch
Editora: Arqueiro
O único beijo trocado tempos atrás com a Srta. Olivia Norley tinha tudo para se perder na memória de Marlowe Drake, o duque de Thornstock. Afinal, com tantas moças se jogando aos seus pés, Thorn dificilmente se interessaria em cortejar aquela jovem que nutria uma estranha paixão pela química.
Mas ele não esqueceu o beijo. E não perdoou a terrível chantagem que sofreu ao ser flagrado naquela noite com Olivia – muito menos a recusa dela ao pedido de casamento que foi forçado a lhe fazer.
Agora, nove anos depois, Thorn reencontra a jovem quando seu meio-irmão Grey a contrata para solucionar um antigo e perturbador mistério de família. Com seu conhecimento de química, Olivia poderá determinar se o pai de Grey morreu envenenado ou não. Mas Thorn, desconfiado das motivações dela, decide ficar de olho em cada movimento seu.
Em pouco tempo os sentimentos que ele tanto negou se impõem com força total. E Olivia se depara com sua mais inesperada descoberta: ela é completamente incapaz de resistir à perigosa atração pelo homem que toda a sociedade julga ser um cafajeste.

Resenha


Seguindo com a série Dinastia dos Duques, como mencionei no final da resenha de O Duque Solteiro, eu realmente não fazia a menor ideia do que esperar o par para o nosso querido Marlowe Drake, o terceiro duque de Thornstock, mas que delícia foi a história dele. 

Há nove anos Thorn deixou Berlim para assumir seu ducado em Londres, mas ele não imaginava que também se afastaria de sua irmã gêmea, Gwyn. Até então, eles nunca haviam feito isso e a única pessoa conhecida na cidade é seu meio-irmão, Grey, que está afastado da família há mais de quinze anos. Ou seja, realmente é difícil ter que se adaptar a uma nova cultura, com um título cobiçado por várias mães e jovens caça-dotes e ainda não contar com o suporte da pessoa que melhor o entende. Como se não fosse suficiente, mesmo com os avisos de Grey, com apenas seis meses na capital inglesas, ele acabou conhecendo uma jovem no mínimo inusitada, que gostava de falar sobre experimentos químicos — e também praticá-los — e se viu em uma situação que o obrigou a pedi-la em casamento, ou melhor, ele foi chantageado a isso, mas ela recusou o pedido. E talvez isso tenha sido um golpe ainda pior do que ele imaginava.
(…) no início gostara de ter mulheres o paparicando e homens o olhando com inveja toda vez que entrava em um salão de baile, mas logo descobrira como era solitário ter um título tão imponente. Quão mais solitário seria se sua futura esposa apreciasse o título, diferentemente dele? Olivia pelo menos tinha um propósito na vida. Ele não tinha nada além de (…), cuidar das propriedades e contar os dias até a morte. Deus, ela o estava deixando piegas.
P. 77 - 78
Nove anos depois, Thorn ainda se lembra do beijo que deu na senhorita Olivia Norley, assim como da rejeição dela ao seu pedido de casamento, porém, não imaginava que iria reencontrá-la em um baile na casa de Gwyn, muito menos acompanhada de Beatrice. Saber, então, que Grey a havia contratado para investigar a morte do antigo duque de Greycourt foi ainda pior, pois ele não confiava nela e em sua madrasta chantagista, sem dúvida havia algum plano por traz disso e ele não deixaria que ela arruinasse o casamento do irmão. Mas isso não podia estar mais longe da verdade.

Com dezoito anos, Olivia debutou porque era isso que seu pai e sua madrasta esperavam dela, mas tendo crescido vendo o casamento deles, distante e sem amor, isso estava longe de ser o que ela desejava para si. Ela queria ser química como o tio, com quem havia aprendido muito e se apaixonado pela profissão. Porém, é claro que ela sabia que, sendo uma mulher, dificilmente os pais deixariam que ela levasse adiante a ideia de ter uma profissão. Mas eis que surge um duque em seu caminho. Um duque bem diferente, vindo da Alemanha, mas ao serem pegos e vê-lo forçado a fazer um pedido de casamento, ela tinha certeza de que não queria isso para sua vida, um marido arrastado para o altar.

Agora, com vinte e sete anos e sem ter tido qualquer outro beijo ou proposta de casamento, sua vida se resume aos seus experimentos químicos e a oportunidade oferecida pelo duque de Greycourt pode ser o que ela precisa para ter um artigo publicado e reconhecido. Um passo em sua carreira científica, afinal, certamente não há mais esperança de qualquer pedido de casamento com essa idade (que derrota, hein?!). Ela só não sabia que Grey era irmão do duque que povoou seus sonhos nos últimos anos.
— Você acha mesmo que eu sempre beijo mulheres que acabei de conhecer? Posso lhe garantir que não. Mas você e seu interesse por química me fascinaram. Por que acha que fiquei tão furioso quando fomos pegos? Eu tive certeza de que você tinha conspirado com sua madrasta para me apanhar em uma armadilha e que, de alguma forma, você tinha me deixado cego.
— Ah, pelo amor de Deus — murmurou ela, e fez menção de se levantar.
Mas ele continuou:
— O que quero dizer é que, para mim, as coisas entre nós mudaram. Ou nós tiramos as máscaras e agora conseguimos nos ver como realmente somos.
P. 167 
O reencontro deles será no mínimo estranho, principalmente para Thorn, que foi assombrado pela presença de Olivia de uma maneira diferente, afinal ele tem um segredo que eu simplesmente amei e tem a ver com um hobby dele (AMO DEMAIS ESSES SEGREDOS 😂😂), mas também fica evidente que o motivo dele ter sentido tanto a recusa dela ao seu pedido anos atrás foi o fato de que ela despertou algo nele que nem mesmo ele entendia o que era — e continua não entendendo.

Aos trinta anos, Thorn já viu três de seus irmãos casarem — e acreditando estarem apaixonados, o que ele não acredita que de fato exista —, porém ele não está disposto a isso. Ele sabe que, tendo um título, em algum momento precisará se casar, ter um herdeiro, mas isso não precisa ser agora. Entretanto, reencontrar Olivia traz à tona um desejo que há muito ele não sentia por alguém. Mas era apenas isso, certo? Desejo.
Gwyn estava certa sobre uma coisa: tentar lutar contra seus sentimentos era como tentar impedir que a agulha de uma bússola apontasse para o Norte. Ele queria Olivia, precisava de Olivia.
E, sim, amava Olivia.
P. 214
Em Quem Quer Casar com um Duque? veremos que os irmãos estão no caminho certo ao contratarem Olivia para investigar a morte do pai de Grey, o que nos leva a pensar realmente que os outros maridos de lady Lydia foram assassinados. E então nos perguntamos — assim como eles —, por quê? Sem dúvida, o próximo livro, Um Duque à Paisana, terá muito a revelar, afinal o último duque solteiro deverá finalmente firmar um compromisso — e eu espero muito que eu esteja certa em meu palpite, pois o tenho desde o primeiro livro — e ainda precisamos saber quem é a pessoa por traz das mortes dos duques e queremos saber a motivação dela.

Que venha logo para matar nossa — minha — curiosidade.


P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉
Comentários
0
Compartilhe

0 comentários:

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos. Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações